HQ: V de Vingança

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Remember, remember, the 5th of november
The gunpowder, treason and plot
I know of no reason, why the gunpowder treason
Should ever be forgot

A imaginação não serve apenas para imaginarmos coisas boas, vivermos em um mundo perfeito. Tampouco uma boa história é apenas a que nos traz alegria ou funciona como um bom entretenimento: às vezes, é aquela que impõe medo. Impõe medo por entrarmos em contato com ideias distorcidas, mas o medo também nos traz esperança. Por isso gosto tanto de histórias distópicas, como 1984 e Admirável Mundo Novo. Foi uma grande surpresa encontrar uma narrativa tão impactante em uma graphic novel, que em virtude do dia de hoje, será a resenha deste blog: V de Vingança, do genial Alan Moore.

V de Vingança
“... Lembrem, lembrem do cinco de novembro. Que traição, que artimanha. Por isso, não há por que esquecer uma traição tamanha...”.

Devastada pela guerra e por um desastre nuclear, a Inglaterra passou por um período de caos, de pouca comida, muita violência e ninguém no poder. Após algum tempo, a anarquia é substituída por um governo fascista, que restaurou a ordem impondo censura, abolindo os direitos civis, subjugando as minorias e levando homossexuais, negros ou qualquer pessoa que tenha uma ideia levemente diferente do governo para campos de concentração. Nesse estado totalitário e repressor, em que a mídia é controlada e não existe liberdade de expressão, um anarquista, conhecido simplesmente pelo codenome V, passa a lutar com suas habilidades e ideias pela liberdade individual luta pela liberdade e individualidade, com um arquitetado plano para derrubar o estado.

V de Vingança


A partir dessa premissa, a história se desenvolve de uma maneira excelente, onde somos impressionados e confrontados a cada capítulo. Tudo começa quando Evey, uma garota órfã prestes a ser agredida por policiais, é salva por V e levada para seu refúgio, onde entra em contato com arte, música e outras formas de expressão reprimidas pelo governo, mas principalmente, passa a admirar V e suas ideias. O Codenome V, protegido pela máscara do Guy Fawkes, construído a base de Shakespeare, cultura e forte pensamento político, é um personagem que foi vítima dos terríveis campos de concentração e por tudo que sofreu busca vingar-se pela liberdade, mas mais do que um personagem bem construído, mais ou independente de ser uma pessoa, V é uma ideia, é a busca por mudança. E ainda que discordemos de muitas das opiniões apresentadas por V no decorrer da graphic novel, é sempre libertador e edificante pensar ao menos por um minuto fora da caixa, colocando em cheque questões não daquela Inglaterra de 1989 apresentada por Alan Moore, mas da nossa própria sociedade.

V de Vingança


Além do elogioso roteiro, V de Vingança possui várias peculiaridades que vão desde à clássificação do estado como um corpo - dedo (polícia), nariz (detetives), olho (vigilância), boca (propaganda), destino (máquina central) até a construção visual do próprio personagem V, creditada por Moore ao seu excelente parceiro David Lloyd. A ilustração dessa graphic novel é fantástica e a obra é muito marcada pelo uso de luz e sombras, dando um aspecto sombrio na maior parte, mas também um deslumbre de esperança e luz quando necessário. Quanto à máscara de Guy Fawkes, salienta-se que ele é um personagem histórico que participou da Conspiração da Pólvora, com o objetivo de explodir o parlamento inglês e o Rei James - mas foi traído e enforcado, levando à comemoração do 5 de novembro. Um símbolo bem utilizado e explorado, já que na época, a graphic novel foi concebida como crítica ao governo da Dama de Ferro Margaret Tatcher.

V de Vingança


"Um humilde veterano do teatro de variedades, escalado como vítima e vilão pelas vicissitudes do destino. Esta máscara não é um mero vestígio de vaidade. É um vestígio da vox populi, que não mais existe. No entanto, esta valente visita de um irritante ser ultrapassado, visa varrer esses vermes venais e virulentos da vanguarda do vício que permitem a viciosa e voraz violação da vontade".

Mais que uma história em quadrinhos ou uma narrativa bem escrita, V de Vingança é uma obra densa, completa, que vai além de uma mera crítica à sociedade: propõe reflexão, propõe contestação, propõe liberdade. Da mesma forma que Watchmen questiona quem vigia os vigilantes, V de Vingança questiona o papel dos vigilantes da sociedade, indagando sua ausência no anarquismo e o caos de um estado ditatorial. Independente da nossa opinião política e fugindo de extremos, é muito importante nos questionarmos e colocarmos em cheque nossas próprias opiniões, porque é com teses e antíteses que evoluímos. E além de valorizar a liberdade, individualidade humana e liberdade de expressão, V de Vingança traz em si mesmo um simbolismo que, apesar de mal usado, é muito forte e inspirador: mudança.

Postagens relacionadas

6 comentários

  1. Tags: Anarquia, Totalitarismo...rsrsrs

    Eu gosto bastante dos trabalhos do Alan Moore, ele sabe muito bem trabalhar com o passado da Inglaterra, adoro A Liga Extraordinária.

    Eu li revista antes de ver o filme, não gostei muito da revista, achei um pouco parado. O filme também não me agradou muito. Apesar que hoje ele é cultuado por muitos. Mesmo assim fica longe de ser meu favorito.

    Mas tirando isso, acho importante o papel que ele teve na sociedade britânica na época. O Constantine brincou bastante da Margaret Tatcher, e com a crise imobiliária na Inglaterra.

    Eu acho engraçado como as pessoas se apropriaram da máscara aqui no Brasil. Tem gente que se julga o justiceiro, mas está apenas olhando o interesse próprio.

    Gostei do post.

    bjos

    ResponderExcluir
  2. Adoreeeei o post! Já vi o filme mil vezes, gosto muito da história e dos personagens.
    Fiquei com muita vontade de ler a HQ agora!
    :*

    ResponderExcluir
  3. Eu amo o filme, sou louca pra comprar a hq mas sempre acabo desistindo por causa do frete :(

    http://gotasdecaffe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. V de Vingança é muito bom mesmo!! Esse post me fez ficar com vontade de assistir ao filme novamente.

    ResponderExcluir
  5. Eu já assisti o filme e é um dos meus favoritos, amo amo e já assisti várias vezes ♥
    Mas a HQ ainda não li, mas agora fiquei com vontade, parece ser muito boa, achei as ilustrações maravilhosas ♥

    Beijos
    Fanpage | Instagram
    www.conversandocomalua.com

    ResponderExcluir
  6. Nunca vi o filme, mas me interessei agora :)
    Bjss

    http://www.estrelaminha.com/

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun