Resenha: Duna

sexta-feira, 3 de abril de 2015



"Não conheço nada que se compare a este livro, a não ser O Senhor dos Aneís". Por mais verdadeira que seja, a frase de Arthur C. Clarke não despertaria meu interesse no livro devido à minha desconfiança com romances épicos, mas graças ao presente e a indicação de um amigo, tive o privilégio de ler Duna e encontrar na obra uma leitura agradável e uma envolvente - talvez revolucionária - ficção científica.



A história de Duna é a luta política por um planeta chamado Arrakis, que é temido pela sua geografia desértica e pela escassez de água, mas muito cobiçado por produzir a Especiaria, uma substância viciante e extremamente valiosa que confere precognição e longevidade aos usuários. Após anos sob o domínio dos inflexíveis Harkonnen, o honrado Duque Leto torna-se o governador do Planeta, levando junto a Bene Gesserit Lady Jéssica e o herdeiro deles, Paul Atreides. O Duque Leto pensa em tornar o planeta "habitável" e para isso reconhece a grande força dos Fremen, o misterioso povo do deserto, mas logo se vê envolto em uma série de conspirações, de modo que o protagonista Paul passa a viver entre os Fremen e acaba por concretizar grandes profecias, previstas tanto pelas 'bruxas' Bene Gesserit, que esperam pelo Kwisatz Haderach, quanto pelo Povo do Deserto, que enxergam em Paul um grande Messias, o Muad’dib.



Ainda que a sinopse do livro indique a vasta gama de conteúdos abordados, é impossível imaginar a profundidade com que conteúdos como política, religião, classes sociais e sobretudo ecologia são abordados ao longo das suas 498 páginas mais os anexos, que comportam um glossário e vários textos falando dos aspectos ecológicos, religiosos, ou das Bene Gesserit, um dos tantos grupos místicos de Duna. Somado aos conflitos e à brutalidade da sede e do Deserto, ainda temos os famigerados Vermes da Areia, o que torna Arrakis ainda mais curioso e perigoso - por isso a ansiedade em descobrir sobre o planeta. Assim como em Tolkien, a impressão que passa é que o autor criou um mundo inteiro, dedicando-se a explorá-lo em minuciosas descrições, para a partir dele elaborar uma história e os personagens, porque o "principal" neste livro não é a (interessante) trajetória de Paul Atreides, é Arrakis: durante toda a leitura absorvemos novas informações, exploramos e procuramos descobrir o destino daquele misterioso Planeta Deserto.



Uma das possíveis críticas sobre Duna são as semelhanças com Star Wars (que por sinal, é posterior à Duna) e outras obras que retratam "a jornada do herói" - o que inclui Odisseia, Harry Potter, O Hobbit e até mesmo Buda. Apesar da fórmula batida, Duna é um livro bem mais denso do que a maioria dos livros juvenis (classificação na qual não acho que se enquadra este livro) por trazer à tona aspectos religiosos e políticos e foi bem revolucionário para a época, porque nos apresentou um futuro mais místico do que tecnológico, em um tempo e planeta muito distantes da nossa realidade, no qual a tecnologia foi abandonada dando lugar a combates medievais e treinamentos para intensificar as capacidades psíquicas e mentais dos humanos - daí a diferenciação dos Mentat, dos navegadores da Guilda Especial e das Bene Gesserit. Quanto ao último grupo, capaz de controlar totalmente seus corpos e influenciar mentes mais fracas, o objetivo principal é buscar através da manipulação genética de milhares de anos criar um ser humano perfeito, o Kwisatz Haderach. É esse ser superior que Paul poderá se tornar.



O trunfo de Duna é não apenas ter criado um lugar mágico, mas um planeta inteiro, com uma geografia fascinante, elementos culturais, economia própria e, no meio daquele mundo, muitas intrigas políticas e religiosas. Trata-se de um conflito político pelo controle de um planeta (e especiaria) em que a água vale mais que o dinheiro, e os únicos que valorizam de uma forma quase brutal esse fato são um povo extremamente religioso e seguem seu novo líder como adoram a um Profeta. É nessa realidade que Paul deve viver e fazer o possível para escapar das armadilhas, conciliar o interesse dos Fremem com as necessidades de Arrakis e ainda debater sobre o sonho de terraformar o planeta, modificando o ecossistema para tornar Arrakis fértil e agradável. Por todos esses motivos é que indico Duna: vale a pena explorar o Planeta Deserto.

Postagens relacionadas

10 comentários

  1. Hey Vicky, nunca tinha ouvido falar no livro e fiquei "meio assim" ao ver essa comparação com LOTR, admito que mesmo com tua resenha, não fiquei curiosa pra ler, mas admiro autores, que assim como Tolkien, criaram todo um universo para suas histórias. Parece interessante, mas não o bastante para me prender, quem sabe um dia ^^
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro, mas parece que é bem interessante, vou procurar saber mais sobre ele.
    Beijos

    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas me surpreendi, parece ser muito legal!!
    vou ler com certeza :D

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro, porem pela resenha parece ser muito interessante.
    Beijos.

    http://tendenciateenoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parece ser bem legal essa história, eu curto muito o gênero e esse com toda certeza ta na minha lista pra possíveis leituras :D

    Beeijo
    http://resenhandosonhos.com

    ResponderExcluir
  6. Nossa! Fiquei passada com a sua resenha! O livro parece ser maravilhoso! Só podia ser da editora Aleph, esses livros são a cara dela hahaha ;)
    Vou te confessar que tenho muita preguiça desse tipo de livro (embora eu os ache extremamente interessantes), mas esse me encantou. Realmente parece que o cara criou um planeta inteiro, com TUDO novo, e eu acho isso extremamente bizarro. Precisa de MUITA criatividade pra desenvolver uma coisa dessas.
    Adorei seu post e seu blog ;)
    Beijos!
    http://www.canseidesernerd.com

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia Duna, mesmo sendo uma distopia tão antiga. Gostei muito da resenha, e confesso que só pelo primeiro comentário eu também não leria...

    Beijão, Guta!
    www.opinada.com

    ResponderExcluir
  8. Ando meio enjoada de distopias :( parece que é só o que aparece ultimamente... Fiquei interessada nesse por ser mais velho que o normal! Anotei em "para ler" hahaha

    ResponderExcluir
  9. Não sou muito desse gênero de livro e não conhecia esse! Engraçado, né, porque é mais antiguinho e tem uma capa bonita!


    http://chezb.com.br/

    ResponderExcluir
  10. to sem tempo pra ler forever (:
    é horrivel.
    só livros da faculdade.
    apesar de ter adorado sua sinopse, chega de por livros na lista.

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun