Crítica: Jogos Vorazes - A Esperança Parte I

segunda-feira, 9 de novembro de 2015



Depois de assistir dois filmes da franquia, é óbvio que havia uma pequena curiosidade em saber o que aconteceria com Katniss e qual seria o destino de Panem, em virtude da rebelião anunciada no segundo longa. Sendo assim, fiquei muito feliz quando ganhei os ingressos do blog I Like Movies e pude assistir Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I no cinema.



Após destruir a Arena do 75º Jogos Vorazes e ser resgatada pelos rebeldes, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) é levada para o mítico Distrito 13, uma resistência militar que planeja unir os outros Distritos em uma rebelião contra a injustiça dos atos da Capital. Nesse contexto, Katniss é consagrada como O Tordo – o símbolo da rebelião – e passa a visitar locais destruídos para fazer a propaganda da rebelião e não deixar o fogo que se alastrou quando ela destruiu os jogos se apagar. Contudo, os ataques do Estado ficam ainda mais cruéis e alguns Vitoriosos são mantidos pela Capital, inclusive Peeta, par romântico de Katniss e sobrevivente dos Jogos Vorazes.



Mais denso que os outros filmes da franquia, Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I procura abordar os efeitos da extinção dos jogos e a oportunidade de rebelião que surgiu da atitude de Katniss Everdeen, agora traumatizada e desolada por sua participação nos jogos e por não terem conseguido resgatar Peeta. Sendo assim, o terceiro filme da série trabalha com o psicológico tanto de Katniss, que precisa se redescobrir como pessoa e decidir se será símbolo da revolução, quanto da grande massa: e é aí que entra a “influência da mídia”, de ambos os lados, e a análise dos artefatos para a conquista do poder. Claro que tudo é apresentado de forma caricata, assim como eram os próprios Jogos Vorazes, mas o mais interessante neste filme é a manipulação e o jogo político que envolve os personagens da série.



A equipe cenográfica fez um bom trabalho ao representar o ambiente distópico e apocalíptico a qual certos Distritos foram reduzidos e a trilha sonora trouxe certa emoção aos “pontotrops”, provavelmente comovendo os fãs da série. Infelizmente, a despeito de a trama política parecer ser inteligente e da segunda parte do filme (que é muito superior ao início) realmente ter me deixado tensa quanto ao destino dos personagens, é difícil se envolver com a história quando, mesmo após o terceiro filme, ainda não se entende o motivo dos Jogos Vorazes, e o fato de boa parte do filme se debruçar unicamente sobre a propaganda em torno de Katniss Everdeen como O Tordo é um tanto entediante e até superficial, visto que o filme tem poucos (porém bons) momentos de ação.



Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I é exatamente o que esperava da continuação da franquia, que em todos os filmes apresentou uma narrativa lenta por explicar durante uma hora a mecânica do jogo, para só então demonstrar seus efeitos. Na verdade, A Esperança é muito superior nesse quesito, porque é pontuada por momentos emocionantes e uma sequência que prende nossa atenção, nos preparando para o grande final.

Postagens relacionadas

6 comentários

  1. Gosto das suas resenhas críticas, em geral sempre parece que vc nunca gostou...rsrsrs..por isso eu adoro..rsrsrsrs.

    Minha sobrinha ta doida pra ver, minha irmã também, quem sabe eu saia de casa pra ver a Katniss [Jlow]. Essa semana fui obrigado a ver Mazer Runner com elas, achei meio divertido, mas ao mesmo tempo um pouco mais dos mesmos.

    Consegui ver várias coisas jogadas ao leu e explicadas bem porcamente, o mais legal foi como eles montaram o mito da caverna no meio de tudo aquilo, mas mesmo assim ficou bem porco.

    Agora me responde uma coisa, Isso de futuro distópico já deu?

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Eu amei cada segundo desse filme e estou super ansiosa pra assistir o último, vai ser o mais emocionante de todos.
    Já me emocionei demais nesse, principalmente ao ver o estado do Peeta.. Tadinho!

    Beeijos
    O Outro Lado da Raposa
    Facebook

    ResponderExcluir
  3. Aquele povo em cima da Katniss filmando o tempo todo pra vender a imagem dela como "O Tordo" me dava raiva XD acho que eu no lugar dela mandava todo mundo plantar coquinho e me deixar chorar em paz auhsuiahs mas é totalmente compreensível.
    Eu gostei do filme, gosto mais da Katniss do filme que do livro, prontofalei. =x
    Adorei a resenha <3

    Loud Like Moi

    ResponderExcluir
  4. Olá

    Não li os livros (aliás, tentei ler o primeiro mas não curti muito a narrativa), mas por achar a história interessante procurei pelos filmes e acabei gostando. Eu fiquei bem satisfeito com essa primeira parte, embora eu tenha ficado tentando imaginar como seria se o filme terminasse de outra forma já que teria que ter uma segunda parte. Achei as atuações excelentes e o clima de tensão também muito bom. Espero gostar da segunda parte também.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  5. Eu concordo com sua resenha, o filme é muito bom mas tem seus poréns. Estou quase lendo o livro pra entender direito tudo isso. A atuação da personagem Katniss é incrível

    ResponderExcluir
  6. Ótima resenha, eu amei o filme, e pirei tanto, que tive que correr para os livros... Mas sei que mesmo depois de ler o livro, vou continuar ansiosa para a grande final!

    Bjinhos
    Juju

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun