Retrospectiva Literária 2015

terça-feira, 5 de janeiro de 2016



Oi pessoal! Como foi o final de ano de vocês? Aposto que estão todos renovando as energias para 2016 e estabelecendo metas para um ótimo ano. Eu também estou fazendo isso e acho importante termos objetivos, mas agora também é o momento de olhar para trás e analisar as coisas boas e ruins de 2015. No Finding Neverland, sempre faço uma retrospectiva com alguns temas retratados aqui, e essa é a minha Retrospectiva Literária de 2015. Vamos ver?



Em 2015 eu não li tanto quanto gostaria (20 livros, 10 a menos do que li em 2014 e 2013...), mas realizei leituras que estavam há um tempão na minha lista de espera, conheci novos autores e também li vários livros de Direito que não constam nesta lista, então foi um ano bem produtivo. Também li Assim Falou Zaratustra e O Grande Gatsby em mangá e completei três coleções, e acho genial a ideia de retratar literatura clássica versão mangá, porque gosto tanto de escrita quanto desenhos.



No blog, foram postadas onze resenhas e desde agosto estou participando do Book Club, um projeto que prometerá várias resenhas e discussões em 2016. Entretanto, o mais legal que aconteceu esse ano foram as parcerias realizadas com os autores Franco Trotta, Giovanna Vaccario e E. Chérri Filho. Como vocês sabem, eu não tenho parceria com editoras e não procuro firmar com autores, por esse motivo, me senti muito lisonjeada em ganhar um livro de cada um, poder resenhá-los e divulgar novos escritores, pois considero um reconhecimento ao meu trabalho. Aliás, além de conhecer novas obras, é uma maneira de incentivar essa profissão que tanto admiro.



Eu também li bastante Agatha Christie, finalmente comecei a ler A Torre Negra (LEIAM. Vocês precisam ler!) e, se li pouco, pelo menos posso dizer que também fiz leituras de alta qualidade, como Cem Anos de Solidão. Grande parte desses livros já foram resenhados no blog ou terão suas resenhas divulgadas em breve, então farei uma postagem aos moldes das retrospectivas de 2014 e 2013 e trarei apenas uma sinopse para quem tem interesse em conhecer um pouquinho mais das obras que não aparecerão por aqui, ok?

Os lefantes não esquecem


Li Os elefantes não esquecem quando tinha oito anos e, ao fazer a releitura, felizmente tinha me esquecido de boa parte da história - mas nunca me esquecerei de quem me deu o novo livro. A história se passa doze anos após uma terrível tragédia, quando os corpos de Lady Ravenscroft e do General Ravenscroft são encontrados mortos no penhasco. Tudo indica que foi duplo suicídio, mas um amigo do casal não se conforma com a explicação da polícia e anos depois pede a ajuda de Hercule Poirot para desvendar o mistério. Assim, Poirot conta com a memória de três testemunhas e com suas invejáveis células cinzentas para descobrir, doze anos depois, se foi ou não um crime. Um livro excelente, com ótimo enredo e grande enfoque no emocional dos personagens, um diferencial neste livro de Agatha Christie.

Geek Love: O Manual do Amor Nerd


Ganhei esse livro em um concurso e ele se demonstrou ser uma grata surpresa, porque o livro é cheio de referências divertidas a jogos, filmes e elementos do universo nerd. Assim como o título anuncia, Geek Love é um manual de como conquistar aquele 'Player 2', trazendo várias situações, dicas e ensinamentos sobre relacionamentos. Felizmente, não se trata de um livro de 'auto-ajuda', mas sim uma leitura bem-humorada sobre o start, game over e vários níveis de um romance.

A Casa no Penhasco


A Casa no Penhasco é protagonizado pelo célebre detetive Hercule Poirot e é narrado por seu grande amigo Hastings, ambos personagens muito carismáticos de Agatha Christie. Já aposentados, os dois amigos se hospedam em um belo hotel no litoral da Inglaterra e encontram uma adorável moça, chamada Nick Buckley, que de forma bem humorada brinca que escapou da morte três vezes nos últimos três dias. Poirot convence Nick, proprietária da Casa do Penhasco, que não se trata de acidentes e que a moça está correndo um grande perigo, de modo que o detetive começa a investigar cada personagem para descobrir o que e quem está por trás desse mistério. Uma leitura dinâmica e com um final surpreendente!

A Escolha dos Três


A Escolha dos Três é a continuação de O Pistoleiro (resenha aqui) e parte do grande épico A Torre Negra. Ao final do primeiro livro, três cartas de tarot são apresentadas ao protagonista: O Prisioneiro, A Dama das Sombras e A Morte. Para encontrá-los, Roland ultrapassa três portas diferentes no Mundo Médio e cada uma o leva para uma época diferente de Nova York, onde conhece um viciado em heroína, uma ativista negra paralítica de dupla personalidade e um psicopata, que não é a pessoa ideal para acompanhar Roland na sua jornada. O livro conta com muita tensão e cenas de ação e é notável a evolução de Stephen King em relação ao primeiro livro, vez que A Escolha dos Três é muito mais coeso e, ao meu ver, interessante.

As Terras Devastadas

Em Terras Devastadas, terceiro volume de A Torre Negra, Stephen King retrata o estranho paradoxo temporal que se criou quando, ao final de A Escolha dos Três, Roland impediu que Jake fosse assassinado e, portanto, levado ao Mundo Médio. Assim, acompanhamos os conflitos de Jake Chambers e as diversas aventuras pelas quais passa o katet formado, que incluem passar por cidades abandonadas, enfrentar monstros e chegar a um trem nada comum. Finalmente, novos aspectos são esclarecidos sobre o mundo de Roland e acendem novas especulações nos leitores, de modo que a história de As Terras Devastadas é dinâmica, envolvente e instigante.

Mago e Vidro



Considerado por mim o melhor volume de A Torre Negra até então, em Mago e Vidro nos afastamos da história principal para conhecer o passado de Roland Deschain, quando recém havia se tornado pistoleiro e fora mandado com Cuthbert e Alain para o pequeno baronato de Mejis, onde supostamente estariam mais seguros. Entretanto, uma terrível trama se desenrola em Mejis, envolvendo uma das bolas do arco-íris, usinas de petróleo e criações de gado ocultas, golpes políticos e até mesmo magia. Nesse cenário quase medieval, com segredos e perigos que requerem toda a astúcia dos jovens pistoleiros, Roland se apaixona pela bela Susan Delgada, prometida ao Prefeito Torin, muito mais velho que ela.

Mão Misteriosa


Recém recuperado de uma doença, Jerry Burton se muda com sua irmã Joana para uma pequena cidade da Inglaterra, chamada Limstock. O local é bastante pacato e rapidamente eles ficam amigos de todos da região, mas logo cartas anonimas começam a ser enviadas aos moradores, sempre com comentários maldosos e fazendo referência a escândalos. O que não passaria de um simples aborrecimento torna-se um problema sério quando uma pessoa aparentemente se suicida por causa das acusações de uma carta, levando a crer que as motivações do autor são um pouco mais frias e preocupantes do que uma brincadeira cruel.

Outra Volta do Parafuso


A Outra Volta do Parafuso é uma história contada para os próprios personagens, que reunidos em volta de uma lareira começam a contar histórias de terror. Uma jovem professora muda-se para a propriedade de Bly, próxima a Londres, para cuidar de duas crianças órfãs, que moram com um tio misterioso com ordens específicas para nunca ser incomodado. Apesar de receber uma carta negativa sobre Milles, tanto o menino quanto sua irmã Flora são adoráveis, mas a protagonista logo descobre que há um grande mistério em Bly, quando começa a enxergar fantasmas de antigos criados a assombrar a casa.



Com certeza, minha melhor leitura foi Cem Anos de Solidão, seguido de Duna e O Grande Gatsby, que não havia chamado tanto minha atenção da primeira vez que eu li. E vocês, quais livros leram esse ano?

Postagens relacionadas

3 comentários

  1. Li 103 livros ano passado - UFA! não sei como, acho que li dormindo, hahahaha - e a minha leitura preferida também foi Cem anos de solidão. Não tem como ler esse livro sem favoritá-lo. ♥

    ;*

    ResponderExcluir
  2. Eu li muito ano passado, mas acho que o mais importante é ler com qualidade, então não importa o número de livros que você leu, mas se eles valeram a pena. Achei os livros dos autores internacionais que você mencionou muito interessantes, quero conhecer mais autores nossos esse ano.
    Beijos
    Mari
    http://www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  3. Vicki, pelas suas resenhas, tenho que ler Agatha Christie, adoro mistérios!
    Postei a minha retróspectiva litéraria também!
    Bjs

    http://achadosdamila.blogspot.com.br/2016/01/livros-lidos-em-2015.html

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun