Crítica: Deadpool

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016



Depois de uma aparição sofrível em X-Men Origens: Wolverine, o Mercenário Tagarela surge com o mesmo humor e personalidade dos quadrinhos em um filme que demorou onze anos para sair do papel, mas a espera dos fãs foi recompensada: Deadpool cumpre o que promete.



Os excelentes créditos iniciais do filme já anunciam o que esperar: um filme debochado, irreverente e cujos verdadeiros heróis são os roteirista. Deadpool começa com uma violenta cena de ação na qual o personagem (Ryan Reynolds) está procurando por Francis, vilão do filme. Para entendermos, o próprio anti-herói explica sua origem: Wade Wilson era um mercenário que se apaixonou pela prostituta Vanessa, com a qual viveu um intenso amor até descobrir um câncer terminal. Diante a notícia, Wade aceita uma proposta suspeita que poderia curar sua doença e transformá-lo em um super-herói, mas o objetivo é bem mais cruel e como resultado, Francis o deixou com grande capacidade regenerativa, mas deformou completamente o corpo de Wade. Assim, Wade se torna Deadpool e parte em busca de Francis para restaurar sua face e recuperar a vida antiga.



Apesar da história ser um clichê em filmes de Super-Heróis (salvar a mocinha), Deadpool é um personagem nada convencional e justamente essa é a originalidade do filme, que não tenta agradar ninguém (no sentido de não fazer concessões que diminuíssem a liberdade da história) e zomba de todo mundo: de Ryan Reynolds, de Lanterna Verde, das linhas do tempo de X-Men, do próprio estúdio que produziu o filme. A Fox sempre foi temerosa em fazer um filme de "super-herói" para maiores de 18 anos e Ryan Reynolds sempre culpou o estúdio pela imagem completamente deturpada do personagem em X-Men Origens Wolverine. Acontece que Deadpool não é um super-herói e a faixa etária foi essencial para possibilitar a violência e humor negro que envolvem o personagem, que dessa vez foi interpretado por um Reynolds muitíssimo confortável no papel.



Se por um lado estamos enfadados de filmes de origem, saber como surgiu Deadpool é imprescindível para compreendermos e simpatizarmos com o personagem. O filme cresce ao contar sobre o él câncer e a química de Ryan com a brasileira Morena Baccarin é realmente boa, de modo que nem é tão importante o fato do vilão ser inexpressivo, apesar da sua importância. O filme ainda conta com Colossus e Míssil Adolescente Megassônico (Brianna Hildebrand) representando os poucos X-Men que o estúdio pode pagar e a história de origem dos quadrinhos foi modificada no filme, mas ao invés de prejudicar, o modo com que a adaptação foi feita realça todos os aspectos importantes e é perfeita para o cinema. No mais, a trilha sonora está bastante adequada e o filme fez o melhor possível conforme permitido pelo orçamento.



Assim como muitos filmes dos heróis da Marvel, Deadpool é extremamente engraçado e possui ótimas cenas de ação, mas dessa vez a violência é bem exagerada e o filme abusa da câmera lenta para dar mais impacto às cenas. Na verdade, o grande diferencial do filme está no próprio personagem, um anti-herói autêntico, irreverente e que constantemente quebra a 'quarta parede'.

Postagens relacionadas

7 comentários

  1. Todo mundo está falando muito bem deste filme, mas sinceramente ele não me chamou a atenção, nunca curti o DeadPool nos quadrinhos, sem contar que sempre achei o Ryan Reynolds um bosta!

    Gosto da Morena Baccarin [Acho ela muito bonita] mas ela não tem participado de bons filmes. Ela sempre empresta a voz para os desenhos da DC.

    Talvez o Deadpool tenha criado o primeiro gênero "Heromédia", mas fazer o que?

    Vou esperar o filme chegar ao Telecine, me cansei dos filmes da Marvel.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Não canso de falar que sou fã de seus reviews, dona Vickawaii ♥. Suas críticas são sempre bem fundamentadas e MUITO BEM ESCRITAS - sem repetições de termos, puxações de saco ou excesso de linguagem coloquial... admiro demais sua escrita!

    Ahh, adoro a Morena Baccarin (agora em Gotham, e principalmente em Homeland <333). Já o Reynolds conheço por papeis "bobinhos" de comédia romântica, mas não me desagrada.

    Tô louca pra assistir Deadpool justamente pelo que motivo que você frisou: a excentricidade do personagem. E até agora não ouvi ninguém falar mal do longa, mais um motivo para minha agonia em conferir logo HAHAHA.

    Sou fascinada por humor negro e um dos motivos de eu não gostar muito de sagas de heróis é por serem moderadas para atingirem o público infantil (Sou do time South Park, de Simpsons passo longe, sabe? hahaha). Entretanto, Deadpool já foi feito chutando esse balde e não posso perder \o

    Beijão, minha lindona AND maravilhosa ♥

    =******

    Faroeste Manolo
    Página Facebook

    ResponderExcluir
  3. Eu assisti esse filme essa semana e preciso dizer que AMEI! Sério, o humor dele é sensacional. Risadas do começo ao fim MAS com aquela pitada de drama ao saber de toda a história do personagem. Gostei muito mesmo e já quero ver de novo. :)


    www.missblackdiamond.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Deadpool foi nada mais e nada menos do que eu esperava. Efeitos especiais muito legais e cenas de ações mega inspiradas na do Zack Snyder (tentaram ao menos rs), pena que o plot e o vilão só estão lá por estar. Roteiro bem fraco e bom, Deadpool é debochado e tals, mas 99% referências e 1% diálogos ficou forçado. O filme foi legal e bom, assistir 1x foi o suficiente.

    bjs,
    Carol | Espilotríssimo
    http://www.carolespilotro.com/

    ResponderExcluir
  5. Amei o filme do Deadpool! Muito divertido e me surpreendeu bastante! Eu tinha medo do filme ser muito ruim rs E tipo, ele foi a prova que o universo de hqs nos cinemas pode mudar para melhor sim rs Espero que eles não sigam mais as receitinhas de bolo, como aconteceu com Os Vingadores rs
    Beijos! =**

    ResponderExcluir
  6. Hey, adoro filmes de super heróis, anti heróis, etc ... MAS, não acompanho os quadrinhos, por isso, fui daquelas que foi ver Deadpool sem saber realmente o que esperar ou como era a personagem ... E AMEI <3 uheuhe, acho que nunca tinha ido ao cinema e escutado tantas risadas, a trilha sonora foi perfeita, além de músicas que eu gosto se encaixou bem no filme (NÃO SABIA QUE A MORENA ERA BRASILEIRA ;O) ... Resenha excelente como sempre <3 :*

    ResponderExcluir
  7. Ri muito com o inicio do filme, porque os roteiristas foram os verdadeiros heróis.. Fizeram um bom trabalho com pouco investimento. Sai de lá rindo e com vontade de assistir de novo hauahuahuhauha. Me senti o capitão américa a cada referência que assistia.

    Achei que a legenda ficou perfeita e agora quero assistir dublado para ver o trabalho como ficou ^^

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun