Crítica: Spotlight - Segredos Revelados

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016



Enquanto o jornalismo investigativo está cada vez mais perdendo espaço com o avanço da Internet, um tema perturbador ainda está em pauta: pedofilia na Igreja Católica. De uma forma séria, bem conduzida e nada apelativa, Spotlight - Segredos Revelados aborda os dois temas retratando as investigações de abusos em 2002, na cidade de Boston, Estados Unidos.



Baseado em um fatos reais, o filme narra como um grupo de jornalistas do The Boston Globe especializados em investigação descobriram um dos maiores escândalos de pedofilia nos Estados Unidos. A partir de um único caso - um padre que teria abusado de uma criança -, a equipe Spotlight descobre uma tendência dos padres envolvidos serem transferidos para outra igreja, ou seja, a própria Instituição estaria abafando outros casos. Sendo assim, a equipe se aprofunda na investigação de novos casos, conversando com figurões de Boston, anotando os relatos das vítimas e questionando o impacto que a reportagem irá causar, sobretudo quando a própria cidade coloca a fé acima da realidade e se nega a ver o que está acontecendo nos bastidores da Igreja Católica de Boston.



Spotlight possui um clima extremamente denso e a trama é elaborada de tal modo que sentimos junto dos jornalistas o desconforto nos relatos e ficamos incrédulos quanto à decisão dos figurões de Boston de proteger a Instituição e não as pessoas, vez que não é um caso isolado e inclusive a reportagem de Spotlight serviu como propulsor para diversas investigações semelhantes ao redor do mundo. Se o tema por si só é pesado, o filme acerta ao fugir do sensacionalismo e não apela para sentimentos: o filme explica os fatos de forma convincente, realista e nos lembrando que, embora os personagens estejam perturbados com a descoberta, não são heróis, são apenas jornalistas fazendo o seu trabalho.



Para manter-se fiel ao realismo e funcionar como um filme denúncia, Spotlight tem uma trilha sonora contida e fotografia adequada, mas não exuberante, que serve apenas para destacar a forte presença da Igreja Católica em Boston. O filme dura cerca de duas horas e seu ritmo é bastante lento, o que pode desinteressar alguns espectadores. O trunfo do filme é o desenvolvimento analítico da história e as boas atuações, com destaque para Mark Ruffalo.

Apesar dos fatos que originaram o filme terem ocorrido em 2002, a discussão é bastante atual e Spotligh - Segredos Revelados aborda o tema sem sensacionalismo, relatando o que realmente aconteceu e fazendo uma crítica sobre como as diversas camadas sociais lidam com o problema. Ao mesmo tempo, Spotlight coloca novamente sobre os holofotes o jornalismo investigativo, sendo um filme bastante interessante.

Postagens relacionadas

5 comentários

  1. Assisti esse filme faz poucos dias e adorei! Ele é realmente muito denso, pesado e um pouco lento, mas achei a investigação tão interessante que isso nem me afetou muito rs Terminei o filme pensando seriamente em fazer jornalismo hahahaha
    Beijos! =**

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei Spotlight. Ouvi muita gente por aí dizendo que o filme não mereceu a indicação ao melhor filme, mas discordo completamente, mereceu sim. E é realmente como você disse, a gente sente como os personagens, a angústia, a necessidade de desmascarar a situação, de ajudar as vítimas. E eu amo o Mark, muito mesmo, e acho que as atuações dele são sempre ótimas, mas não achei que o papel dele e da Rachel exigiu tanto para acabar fazendo com que eles recebessem uma indicação. Mas curti muito o filme.

    ResponderExcluir
  3. Oi Vickawaii!
    Adorei a dica! Eu tinha visto o trailer desse filme, achei interessante, mas tinha esquecido. Agora eu anotei o nome, quero ver. =)
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas | Participe do sorteio de 2 anos do blog!

    ResponderExcluir
  4. Gostei da sua Resenha!

    Você criticou bem pouco o filme isso mostra que você gostou.
    Eu também gostei do Leiv Schirib, acho ele um bom ator.
    E o do Di Caprio vc vai ver quando?



    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu vi várias pessoas criticarem o filme, mas fico com pé atrás. Pq se trata de um assunto real e é claro que o ambiente é pesado né?
    Quero assistir!! E como você não criticou muito, acho que vc gostou rs

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun