Games: Undertale

segunda-feira, 13 de junho de 2016



Em tempos nos quais jogos são elogiados principalmente pelos gráficos, é inacreditável que um jogo feito por uma única pessoa no game-maker tenha sido indicado para tantos prêmios e ganho uma legião de fãs. Não é para menos: Undertale é um jogo para PC cuja história é contada brilhantemente por meio de uma jogabilidade muito divertida, com personagens cativantes, bom-humor e uma proposta diferenciada.

Undertale


Undertale se passa em 20xx, muito depois de uma guerra entre humanos e monstros que culminou nos monstros presos no submundo, onde se passa a história. No jogo, você é uma criança que caiu no Submundo e, para sair dele, realiza uma jornada por vários lugares diferentes e conhece diversos personagens, que podem ou não acabar virando seus amigos durante o jogo, influenciando . Além de ter uma história interessante, a grande sacada de Undertale é a possibilidade do jogador fazer escolhas morais e, diferentemente de outros RPGs, não há necessidade de matar ninguém. Você pode lutar contra os monstros, dar misericórdia ou até mesmo conversar com eles e entender seus medos, angústias, desejos.

Undertale


A possibilidade de fazer escolhas levam a três formas de aproveitar o jogo. O jogador pode ser 'neutro' e decidir conforme a situação ou escolher uma das duas rotas distintas para seguir: na pacifista, não podemos matar ninguém e devemos ficar amigos de todos para liberar um final feliz, enquanto na genocida (recomendável fazer após o término do modo pacifista), todos aqueles personagens que você criou afeição ao longo da rota pacifista devem ser mortos, culminando numa luta final com um personagem inesperado e extremamente difícil. O mais interessante é que o jogo lembra e em certos momentos o próprio jogo interage com a sua realidade e quebra a "quarta parede", como se tivesse vida própria.

Undertale


A mecânica do jogo é bastante interessante e lembra aqueles jogos de fliperamas antigos, em que devemos desviar de flechas, usar um escudo, etc. Vamos descobrindo a história daquele mundo à medida que vamos investigando os cenários e, para aqueles que não gostam de matar, atitudes específicas devem ser usadas na interação com cada personagem. Aliás, quando se diz que "os personagens são carismáticos" e "você cria afeição por eles", isso não é exagero: cada um tem uma personalidade única e ficamos fascinados por eles. Me diverti muitíssimo com o bom-humor dos esqueletos Papyrus e do cômico Sans, fiquei admirada com a bravura da Undyne e me senti realmente acolhida por Toriel, uma mãezona. Mettaton é responsável por momentos engraçadíssimos, a luta contra Muffey é divertida e até da Alphys sinto saudades. Quanto ao Flowey, The Flower, bem, digamos que é um pouquinho pior do que parece.

Undertale


Uma rota de Undertale tem mais ou menos sete horas de duração, mas não sentimos essas horas passarem porque ficamos muito envolvidos por aquele mundo, conhecendo os personagens, rindo dos diálogos, nos encantando com o jogo. Apesar dos gráficos propositalmente antiquados (e quem liga para os gráficos?!), a trilha sonora é ótima e a história de Undertale é surpreendente, mostrando que somos responsáveis tanto pelas nossas boas ações quanto pelas ruins. Com momentos ora engraçados, ora desafiadores, Undertale é um jogo criativo que proporciona uma experiência imersiva como poucos, que utiliza referências da Internet, recebe influências de jogos como Earthbound e ainda assim é uma obra extremamente original, em que tudo tem importância e realmente cativa o jogador. Vale a pena jogar!

Postagens relacionadas

7 comentários

  1. Oi oi,

    eu não sou muito de games (só The Sims mesmo, que é meu vício eterno), mas gostei desse que você indicou - ele parece ser bem divertido! Depois vou tentar jogá-lo!

    Beijos!
    Participe do sorteio de um kit de Mimos da Editora Arqueiro
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir
  2. Adorei essa possibilidade que o jogo dá de mudar a história sem a necessidade de matar outros personagens! É difícil ver isso em muitos jogos, né? (pelo menos os que conheço).

    Muito legal mesmo.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse jogo.
    Parece ser divertido!
    Beijos, Aline
    https://versoaleatorio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu não sou muito de jogar, mas achei super divertido esse jogo!
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  5. Jogo do ano! Muito bom mesmo. A possibilidade de poder ou não lutar com os "monstros" é a parte mais interessante. O autor foi extremamente cuidadoso com os detalhes do jogo, dos possíveis finais e várias surpresas que ocorrem durante o gameplay. Um dos poucos jogos que me deu vontade de explorar todos finais principais, visto a rapidez que é zerar o jogo.

    ResponderExcluir
  6. Nossa esse jogo parece muito legal. Eu adoro a estética e mecânica dos jogos mais antigos. Gráficos mais ricos são muito bonitos e admiro muito quem faz, mas eu me sinto um pouco perdida nos jogos às vezes, tem muita informação, por isso prefiro esse estilo.

    Eu já mexi no game-maker, mas nem tenho ideia de como seria fazer algo dessa complexidade lá haha. Obrigada pela dica, agora quero muito jogar!

    Eating Peanuts

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun