Resenha: Inferno

quarta-feira, 18 de março de 2015



Não é a toa que os livros de Dan Brown estão sempre na lista dos mais vendidos do mundo. Depois de conquistar o mundo com o polêmico O Código da Vinci e com livros igualmente bons como Anjos e Demônios, Dan Brown publicou sua sexta aventura, baseado na obra de Dante, um dos autores mais importante de todos os tempos: Inferno.



O livro começa quando o professor e simbologista Robert Langdon acorda em um hospital de Florença e passa a ser perseguido por agentes misteriosos, sem ter memórias de como chegou na cidade ou porquê. Em fuga com a superdotada doutora Sienna Brooks, Robert Landgon se envolve em uma trama guiada pela obra Inferno, parte da Divina Comédia escrita pelo italiano Dante Alighieri, o que o leva a cidades como Florença e Veneza e a passar pelas obras de arte relacionadas ao Dante ao mesmo tempo em que tenta desvendar uma questão de vida ou morte para a humanidade, sempre à sombra da doença que dizimou parte da Europa possibilitando seu renascimento: a peste negra.

Ao mesmo tempo em que se baseia na obra de Dante, Inferno também tem como principal argumento a teoria malthusiana, que ensina que a superpopulação levará ao colapso da humanidade. Apesar de o tema ser ultrapassado, o livro propõe uma discussão interessante e serve como catalisador para uma trama repleta de perseguições, ação, investigação e reviravoltas, sempre nos deslumbrando e nos fazendo acompanhar a mesma aventura vivida pelos protagonistas.



Em seu novo livro, Dan Brown repete a fórmula dos sucessos anteriores, narrando em linguagem acessível uma aventura ambientada entre as cidades e obras de arte mais belas do mundo. Muitas pessoas criticam a narrativa de Brown por ser superficial e confundem o didatismo empregado com pedantismo, mas não vejo por esse lado: Robert Langdon é um ótimo guia e certamente o maior mérito do livro é permitir o contato com a literatura e história da arte por meio de uma linguajar simples e trama envolvente.



Assim como Anjos e Demônios e O Código da Vinci, Dan Brown consegue nos envolver em uma história instigante ao mesmo tempo em que nos motiva a conhecer um pouco mais sobre os cenários apresentados e as obras referidas. Em Inferno, exploramos generosamente a obra de Dante, e é impossível parar de ler este livro até seu inteligente desfecho.

Postagens relacionadas

6 comentários

  1. Cara, to doida pra ler esse livro sem mais, assim como nos outros livros do Dan Brown, reuni tudo o que mais amo <3
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
  2. Li menos de Dan Brow do que gostaria, apenas O Codigo e Anjos e Demônios, faltam algumas páginas para terminar O Símbolo, mas eu gosto muito da forma como ele escreve, como tu disse, acessivel e cativante :D , quero ler Inferno e os outros uma hora :*
    www.moniitorando.com

    ResponderExcluir
  3. Já li esse livro e recomendo. Não sei se é so comigo mais toda vez que eu leio algum livro do Dan Brow eu fico presa nele, não consigo parar de ler de tão bom que é <3
    beijos
    www.naosoudecor.com

    ResponderExcluir
  4. Os únicos livros que eu li do Dan, foi O código da Vinci e Fortaleza Digital hahah preciso ler mais <3
    Adorei a resenha

    ResponderExcluir
  5. Sempre tive vontade de comprar esse livro, e parece realmente muito bom.

    ResponderExcluir
  6. Eu comprei Inferno de Dan Brown em uma promoção nas Americanas e, como já tinha lido O Código da Vinci e O Simbolo Perdido, sabia que não iria me arrepender. De fato, a história é frenética e muito boa! Ela segue o mesmo esquema dos outros livros com Robert Langdon, o professor que resolve todos os problemas enquanto é perseguido pelo resto do mundo, mas a história consegue te prender até o fim!
    No site Gnomo da Estante (http://gnomodaestante.blogspot.com) você pode conferir as notícias mais atuais sobre Dan Brown e as novidades do filme que estão fazendo desse livro. Vale a pena passar de lá ;)

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun