Cirque du Soleil JOYÀ, na Riviera Maya


sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Quando planejamos nossa viagem para Cancún, um dos fatores quase decisivos para nossa escolha foi descobrir que lá tem um espetáculo do famoso Cirque du Soleil. Isso mesmo! A famosa companhia de circo canadense, que conta com apenas dez shows em locais fixos, tem um espetáculo na Riviera Maya: JOYÁ, uma experiência fantástica do início ao fim.

Cirque du Soleil Cancún


O Espetáculo JOYÀ é o primeiro show residente do México (aliás, o primeiro show fixo na América Latina, e o primeiro show permanente fora dos Estados Unidos!) e o primeiro no mundo inteiro que combina o espetáculo circense com uma experiência gastronômica, pois alguns ingressos oferecem um jantar dentro do próprio teatro. O show tem um enredo lúdico e bonito de acompanhar, e o teatro foi desenvolvido especialmente para o Cirque du Soleil e está em uma região de grandes belezas naturais, tendo um ar místico e sofisticado. Nesse artigo, trarei algumas informações sobre o show JOYÀ e claro, contarei como foi minha experiência.

O teatro do espetáculo JOYÀ - como chegar



Cirque du Soleil Cancún


A experiência já começa com o impacto da chegada: o Teatro desenvolvido especialmente para o espetáculo tem uma arquitetura muito diferente que combina muito com a atmosfera da região, e o complexo todo fica ao redor de um cenote. O lugar conta com estacionamento, banheiros, loja de souvenirs e um delicioso restaurante - também ao redor do cenote - onde podemos comer alguma coisa diferente ou beber um drink enquanto esperamos o show. Tudo isso vai nos preparando para a entrada no teatro, que tem uma decoração colorida e lúdica, mas ao mesmo tempo intimista e elegante, que realmente chama atenção em cada detalhe e combina muito com o show. O teatro tem capacidade para 650 pessoas e, como a arquitetura é circular, não tem lugar ruim - qualquer assento dá para ver perfeitamente o palco (a distância do palco até a última fileira, por exemplo, é 18 metros). É dentro do teatro que acontece o show e, para quem comprou ingresso com alguma experiência gastronômica, o jantar.


Tipos de ingresso, preços e horários



O Cirque du Soleil JOYÀ tem diferentes tipo de ingresso: o "VIP dinner" e "Regular dinner", que são a experiência com jantar e champagne (sendo que o VIP tem acesso preferencial, champagne ilimitado e coquetel de boas vindas), o "premium seats, drinks and appetizers", com bebidas e aperitivos, e ingressos "show only", com preços variando conforme o lugar. Os ingressos para apenas o show custam a partir de 77 dólares e podem ser comprados no site oficial, escolhendo o dia e horário do show, tipo de ingresso e poltrona ou mesa numerado.No próprio site, também pode ser comprado o transfer de Cancún ou Playa del Carmen para o teatro, por 20 dólares e 18 dólares, respectivamente. Em Cancún, o transfer do Cirque tem como partida e chegada o shopping La Isla, enquanto na Playa del Carmen ele parte e volta para o Playacar Center Shopping Mall. Pegamos o transfer de Playacar e foi super tranquilo, mas quem quiser ir de carro, não tem erro: o Cirque du Soleil fica localizado ao longo Carretera Cancún-Tulum há cerca de 50km de Cancún e 20km da Playa del Carmen, muito fácil de chegar.

Cirque du Soleil Cancún


Compramos o ingresso "show only" e ficamos mais ou menos no meio do teatro, com uma ótima visão do palco. Como eu disse, não tem lugar ruim e nossa experiência foi fantástica, mas sinceramente me arrependi de não ter escolhido um ingresso com experiência gastronômica. Quem compra o ingresso com jantar, fica sentado mais na frente e entra uma hora antes para o jantar, que conta com entrada, prato principal e sobremesa, tudo verdadeiramente gourmet e até a apresentação dos pratos é diferenciada. Falando em apresentação, enquanto acontece o jantar, uma banda fica tocando até iniciar o verdadeiro espetáculo. Chegamos um pouco antes e ainda vimos um pouco do show da banda, como tudo relativo ao Cirque du Soleil, de altíssima qualidade.

O espetáculo JOYÀ ocorre de terça à sábado, com apresentações que podem ocorrer às 19h00, 21h00 e 21h15, dependendo do dia e da temporada. Infelizmente, não é todos os dias que tem mais de uma apresentação, então tem que ver no site para se programar, considerando ainda que quem opta pelo ingresso com jantar deve chegar uma hora antes do horário marcado no site.


Cirque du Soleil JOYÀ - O espetáculo



O espetáculo JOYÀ é simplesmente fantástico. Com duração de pouco mais de uma hora, o show conta a história de uma menina chamada JOYÀ, que cresceu ouvindo as histórias mágicas contadas por seu avó e parte numa jornada rumo ao fantástico em busca de uma pedra preciosa. Inspirada na migração da borboleta monarca, o enredo é uma espécie de alegoria, uma história sobre alegria, conhecimento, sobre a busca pelo sentido da vida, mas com personagens únicos meio humanos e meio animais e com a magia que só o Cirque du Soleil consegue proporcionar. Os artistas e técnicos que participam do espetáculo vieram de mais de quinze países diferentes e o show é uma super produção que mexe com todos os sentidos, homenageando elementos naturais e culturais do México.

Cirque du Soleil Cancún


A história é recheada de números circenses que nos deixam maravilhados com os artistas, tem momentos de interação (alguns números acontecem no meio da plateia!) e também um lindo cenário que muda conforme os acontecimentos do show. A orquestra também é um show à parte, aliás, eu lembro até hoje de como fiquei impressionada quando vi o espetáculo La Nouba em Orlando e percebi que aquela trilha sonora que se encaixava perfeitamente ao espetáculo era, na verdade, uma orquestra ao vivo. Os músicos de JOYÀ são fantásticos e estão em perfeita sintonia com os números circenses, aliás, todos os artistas faziam coisas simplesmente impressionantes. No vídeo abaixo, dá para ter uma ideia do que esperar do show, pois é o trailer oficial do JOYÀ:



Sei que é repetitivo ficar falando isso, mas o espetáculo JOYÀ do Cirque du Soleil é simplesmente incrível. Desde o início da experiência, a primeira vista do Teatro, os cenários, a gastronomia, o show, tudo é absolutamente impecável e não tem como não se maravilhar e emocionar com tanta beleza acontecendo no palco. O Cirque du Soleil JOYÁ é uma experiência única e que, ao mesmo tempo que se diferencia das demais atrações da Riviera Maya, se encaixa em toda a atmosfera mística e cultural que só aquela região cheia de riquezas naturais consegue proporcionar. Foi uma noite perfeita e eu recomendo muito essa experiência para quem viajar para a região, tenho certeza que todos vão ficar deslumbrados ao assistir.

*Essa postagem é fruto de uma parceria do Cirque du Soleil com o blog, porém, todas as opiniões são verdadeiras e refletem nossa experiência pessoal.

Postagens Relacionadas

Almoço no Café Tortoni, o mais famoso de Buenos Aires


segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Tenho a impressão que todas as cafeterias de Buenos Aires nos encantam pelo estilo, mas a mais impressionante de todas é sem dúvida o Café Tortoni, mais um lugar lindo que eu tive o prazer de conhecer.

café tortoni buenos aires


O Café Tortoni surgiu no século XIX e é a cafeteria mais antiga e tradicional da cidade, amada tanto pelos argentinos quanto pelos turistas. É um café de muita história, com uma decoração antiquada, mas muito bonita e bem detalhada, semelhante à que vimos nos filmes antigos. O local era frequentado por um grupo de artista que formava a “Agrupación de Gente de Artes y Letras” (liderada por Benito Quinquela Martin, do Caminito!) e hoje, também é palco de tradicionais shows de tango durante à noite.

café tortoni buenos aires


O Café Tortoni é tão procurado pelos turistas que não raro se forma uma fila para entrar. É possível 'furar a fila' para entrar no Café e tirar algumas fotos da entrada do local, mas preferimos esperar para almoçar e conhecer os detalhes. O Café Tortoni estava relativamente cheio, mas passeei por alguns cômodos vazios - imagino que alguns do show de tango - para fotografar e trazer essas fotos para vocês.

café tortoni buenos aires café tortoni buenos aires café tortoni buenos aires


Nosso único erro, na minha opinião, foi termos ido para o almoço e não provado o famoso café. Como já tínhamos ido ao Hard Rock Café na noite anterior e queríamos jantar numa parrilla, optamos por pedir uma pizza que, apesar de gostosa, não entra na lista das melhores. Os pratos famosos do Café Tortoni são as medialunas e, claro, os churros, que parecem ser deliciosos.



café tortoni buenos aires


Quando entramos no Café Tortoni, parece que voltamos no tempo. Assim como o Teatro Colón, a Galeria Pacífico e os tantos prédios históricos da cidade, tudo no Café Tortoni é grandioso. É incrível ver os detalhes na decoração, os vitrais, como o lugar tem uma atmosfera antiga que lembra bons tempos. Espero que tenham gostado da postagem e viajado no tempo comigo!
Endereço: Av. de Maio, nº 825, Buenos Aires
Horário: Diariamente, das 08h às 20h

Postagens Relacionadas

Filmes: Vidas ao Vento


sexta-feira, 30 de abril de 2021



Os filmes do Studio Ghibli são reconhecidos pela altíssima qualidade das animações e boa dose de surrealismo e misticismo. O último filme de Hayao Miyazaki traz uma obra mais realista e menos impactante que as demais, porém com uma arte incrivelmente bela e, como sempre, capaz de provocar algumas reflexões: Vidas ao Vento.

crítica filme Vidas ao Vento


Vidas ao Vento é uma espécie de biografia de Jiro Horikoshi, um engenheiro aeronáutico japonês famoso pelos ótimos design de aviões que projetou - em especial, do avião "Zero", caça japonês utilizado amplamente na Segunda Guerra Mundial. No filme, acompanhamos Jiro desde a infância, quando era um menino apaixonado por aviões, até seu envolvimento na aeronáutica na vida adulta e seu incansável trabalho de fazer aqueles aviões com design e conceitos mirabolantes serem capazes de voar. Paralelamente, o filme retrata as idas e vindas da relação de Jiro com a bela Naoko, uma delicada artista que vê sua saúde ficar cada vez mais fragilizada graças à tuberculose.



Enquanto >Túmulo dos Vagalumes retrata com sensibilidade o lado japonês da Segunda Guerra e filmes como Princesa Mononoke e O Castelo Animado tem um caráter anti-belicista, desta vez não há grandes julgamentos sobre as atrocidades cometidas na Guerra e inclusive, o Japão é pintado como um grande país, o que causa certa estranheza ou, no mínimo, confunde o telespectador acerca da mensagem passada com o filme. De todo modo, fica claro que o belíssimo sonho de voar carrega a maldição de ser uma arma de guerra, premissa que é aceita por Jiro, retratado como um rapaz sonhador e esforçado que corre atrás do seu sonho.

crítica filme Vidas ao Vento


A poesia do filme fica por conta dos sonhos lúdicos que Jiro tem com o aviador Caproni e a belíssima maneira com que o "vento" é utilizado, seja em aviões de papel, seja para aviões de verdade planarem, seja para aproximar Jiro de seu verdadeiro amor, Naoko. A única personagem feminina deste filme é bem diferente das protagonistas fortes e decididas de Miyazaki, eis que seu grande objetivo é ver Jiro feliz. No entanto, a delicadeza da personagem é o contraponto necessário para a realidade de Giro, intercalando cenas mais frias e até mesmo técnica sobre a criação de aviões com um singelo romance, que até pode sobreviver à Guerra, mas corre grandes riscos de sucumbir à doença. Para retratar essa suavidade, Vidas ao Vento conta com uma arte deslumbrante e uma paleta de cores em tons pastéis, mais realista, porém, com lindos cenários e uma trilha sonora igualmente bela.

crítica filme Vidas ao Vento


Vidas ao Vento foi o último filme dirigido por Hayao Miyazaki e, apesar de algumas cenas surrealistas, fica nítido que a trama deixa a fantasia de lado para dar enfoque a uma realidade mais crua e não tão fascinante, sobretudo pela temática relacionada à segunda guerra. Em que pese alguns tenham dúvida sobre a mensagem do filme, que retrata com uma poesia imensurável a vida de um fabricante de armas, também resta claro se tratar de um sonho amaldiçoado, de modo que Vidas ao Vento traz grandes reflexões sobre sonhos e sobre nossa infeliz capacidade de destruição.

Postagens Relacionadas

Filmes: Cinco centímetros por segundo


sexta-feira, 23 de abril de 2021



Sempre gostei muito de animações japonesas pela qualidade visual das produções, mas algumas obras nos encantam justamente pelo realismo e pela sensibilidade com que retratam o cotidiano. Um dos filmes mais elogiados nesse estilo é Cinco centímetros por segundo, uma história sensível e tocante sobre amizade, amor e distância.

Cinco Centímetros por segundo


Cinco centímetros por segundo conta a história de Takaki Tono e Akari Shinohara, dois grandes amigos que estudavam na mesma escola primária e cresceram juntos, mas o destino quis vê-los separados. Por conta do trabalho de seus pais, Akari acaba se mudando para outra cidade e passa a se comunicar com Takaki por meio de cartas, tentando manter contato. Em uma rara oportunidade, Tataki enfrenta vários contratempos ao pegar um ônibus para encontrar Akari, mas é justamente aquele encontro que faz com que ele tenha duas tristes certezas: que ele a ama e que será muito difícil encontrá-la novamente.


Trailer em inglês. O anime está disponível no Netflix!


Cinco centímetros por segundo é uma animação produzida por Makoto Shinkai, tem duração de uma hora e é dividida em três partes: Flor de Cerejeira, Cosmonauta e Cinco Centímetros por Segundo. A sinopse acima refere-se ao primeiro capítulo do filme, mas nos outros acompanhamos o inevitável afastamento dos amigos por conta da distância, porém, sempre lembrando o sentimento que nutriam um pelo outro. Para dar esse sentimento de "distância" e "profundidade", a animação aposta em cenários bucólicos e muitas passagens envolvendo o céu, as estrelas, algo longínquo e belo. Nesse sentido, a arte do anime é simplesmente deslumbrante e o traço é bastante realista, com um estilo visual mais próximo do seinen e do josei (mangás/animes voltados a jovens adultos).

Cinco Centímetros por segundo


O roteiro é extremamente simples e não tem grandes variações ou reviravoltas, nos deixando incomodados com a falta de acontecimentos e, principalmente, com o final. Contudo, o mérito está justamente em demonstrar com sensibilidade uma história que acontece todos os dias: amigos que se separam, casais que não podem ficar juntos, amores que se tornam impossíveis não por alguma guerra ou fato dramático, mas simplesmente porque a vida quis assim. O filme também demonstra diferentes formas de lidar com o passado - relembrando as boas memórias ou, então, ficando amargurado pelos tempos que não voltam mais - e, de certa forma, até mesmo com as oportunidades que deixamos passar por estarmos tão apaixonados e obcecados por coisas inatingíveis. Uma pena, mas é a realidade.

Cinco Centímetros por segundo


Confesso que, quando o filme terminou, foi difícil concluir se gostei ou não, porque de fato fiquei triste assistindo. Cinco centímetros por segundo é uma história simples, sentimentalista e extremamente cotidiana, mas que lida com temas como amizade, nostalgia, amor e com o tão discutido "seguir em frente", algo que a princípio é impensável para aqueles que já experimentaram o verdadeiro amor.

Postagens Relacionadas