Wish List: Gorila Clube, uma loja de presentes criativos


sábado, 4 de maio de 2019

Estou muito feliz de anunciar uma nova parceria do blog: Gorila Clube, a loja de produtos criativos mais divertida da internet! São vários artigos com estampas divertidas, cheias de referência à cultura pop para você decorar sua casa, seu quarto, seu escritório, enfim, trazer um toque divertido para a decoração.



A Gorila Clube surgiu em 2012 e, apesar de vender caixas decorativas, porta-objetos, tapetes, quadros e tudo que se possa imaginar, o grande foco é presente criativo. Sabe quando você quer dar um presente para aquela pessoa especial, mas está cansado de dar as mesmas coisas ou está totalmente sem ideia? A Gorila Clube vai ter algum presente. No site, há inclusive uma sessão para "presentes para datas especiais" dividida ainda pelos interesses de quem vai receber, podendo agradar quem curte séries, esportes, animais e por aí vai.

O Gorila Clube é uma destas marcas e tem como principal objetivo te surpreender. Somos obcecados por produtos divertidos e criativos por causa do efeito que eles provocam, afinal de contas a felicidade está nas pequenas coisas e é impossível não abrir um sorrisão para uma almofada em formato de gomo de laranja por exemplo.


Para comemorar essa parceria, fiz uma lista com dez produtos que estou paquerando da Gorila Club! Olha quanta coisa legal:



1. Porta-lápis e porta-treco kombi azul
2. Canela Cogumelo Verde Pixel Super Mario Bros
3. Almofada porta-pipoca classic movies (4 pessoas)
4. Necessaire Quadrinhos HQ Pop
5. Almofada para pescoço lilás
6. Almofada Frida Kahlo pássaro e flores
7. Almofada Frida Kahlo pássaro e flores
8. Quadro decorativo Torre Eiffel
9. Máscara para dormir panda kawaii
10. Capacho Welcome to the Dark Side

Espero que tenham gostado de conhecer a loja! Quem quiser dar um presente especial, criativo e diferenciado, já sabe: Gorila Clube é a loja perfeita para surpreender! Não deixem de conferir o site e curtir as redes sociais!

Gorila Clube | facebook | instagram

Postagens Relacionadas

Passeios alternativos em Orlando


sexta-feira, 26 de abril de 2019

Viajar para Orlando é passar dias inesquecíveis na Disney, visitar os parques da Universal, estar diante de um mundo verdadeiramente encantado, onde todos os sonhos são realidades. Isso tudo é verdade e esses são os objetivos principais de quem viaja para lá, mas você sabia que Orlando e as cidades ao redor têm muito mais para oferecer? Pensando nisso, resolvi escrever essa postagem sobre passeios alternativos em Orlando, contando um pouco da minha experiência.

Espetáculo La Nouba, Cirque du Soleil


Se você nunca foi no Cirque du Soleil, prepare-se para uma noite incrível. O La Nouba é um espetáculo exclusivo que fica na permanentemente na Disney Springs (antiga Downtown Disney), retratando de forma extremamente lúdica os sonhos humanos. Conta com acrobatas, palhaços, dançarinos e todos os artistas possuem habilidades incríveis, nos deixando fascinados com sua performance. Tanto a iluminação quanto as vestimentas são muito bonitas e o show é um verdadeiro espetáculo visual, mas o que realmente chama atenção para mim é a trilha sonora, que casa perfeitamente com as apresentações. A princípio, achei que era apenas uma ótima edição de som - até me dar conta que uma verdadeira orquestra estava tocando.



Passear pela Disney Springs


A Disney Springs é o centro comercial da Disney, contendo lojas, restaurantes, teatro e algumas atrações. Ele é aberto ao público e lá podemos comprar não só artigos da Disney como também de várias outras lojas, mas o destaque para mim é a Loja Lego (com uma escultura gigante da Malévola dragão na frente!) e a World of Disney, a maior loja Disney do mundo. O restaurante mais legal é o Rainforest Café (também instalado no Animal Kingdom), o lugar é super gosto de passear e ainda, podemos visitar o Disney Quest, um prédio de cinco andares dedicado só para jogos de fliperama. Infelizmente, ouvi dizer que essa atração vai fechar em 2016, então quem viajar antes tem que conhecer esse parque.



Fazer compras em outlets (e até mesmo no mercado)


É claro que viajar para os Estados Unidos dá vontade de encher nossas malas de roupas, maquiagens, eletrônicos e por aí vai. A verdade é que, mesmo com o dólar alto, tudo isso é muito mais barato lá e produtos que aqui custam mais de noventa reais podem ser adquiridos por dez dólares. Além disso, os outlets são um verdadeiro paraíso de compras, com várias lojas recheadas de descontos e promoção em cima de promoção, de modo que o produto que originalmente custava cinquenta dólares pode acabar saindo por quinze! Apesar do charme dos outlets ser insubstituível, também vale a pena dar uma olhada nos grandes mercados dos EUA, que em geral tem uma grande variedade de produtos de cabelo, maquiagem e outros itens para casa.



Conhecer Winter Park


Se você tem um dia livre no seu roteiro, não deixe de conhecer Winter Park, uma cidade que fica há trinta minutos de Orlando e é famosa por ser um refúgio de inverno, com vários parques municipais, lojas e restaurantes. A cidade tem um ar europeu e, tirando a influência germânica, é parecida com Gramado e deve lembrar Campos do Jordão, porque é um lugar tranquilo e muito bonito. Não deixe de fazer o Scenic Boat Tour, um passeio imperdível para conhecer a região. Para saber mais, clique aqui e leia minha postagem sobre Winter Park!



Visitar o Kennedy Space Center (NASA)


Não se trata de um "parque da Nasa", e sim A NASA, a agência responsável por pesquisas e desenvolvimento de tecnologias e programas de exploração espacial. O Centro Espacial John F. Kennedy fica há uma hora de Orlando e é um dos principais pontos turísticos da Florida, já que tem ônibus com guia que passam próximos a várias áreas restritas, tem museu, vários documentos expostos e até mesmo veículos, como um do lançamento da Saturn V e uma cápsula Apollo. O Kennedy Space Center também conta com uma simulação de lançamento e aterrissagem da Apollo 11 e, apesar de não ter sido meu passeio preferido e nem ser indispensável, é interessante para quem se interessa por viagens espaciais.



Gostaram das dicas? Eu também fui em outros parques menos procurados, que vocês podem conferir nesse link. Se você viajou para Orlando e visitou algum lugar inusitado, não deixe de compartilhar sua experiência nos comentários (:

Postagens Relacionadas

Viagem: Fotos com os personagens da Disney!


sexta-feira, 12 de abril de 2019



Oi, pessoal! Já compartilhei no blog várias postagens relativas a minha Viagem para Orlando e em muitas delas apareço ao lado de algum personagem querido da nossa infância. Hoje vim compartilhar com vocês as fotos que tirei com os personagens da Disney e explicar um pouco mais sobre elas!



Os personagens da Disney são bastante procurados e alguns localizam-se em atrações (você deve visitar um local, pegando fila) ou pontos estratégicos espalhados pelos parques, em determinados horários. Os artistas realmente entram nos personagens e são muito simpáticos, retratando fielmente o personagem no universo Disney. É muito bacana interagir com eles e o curioso é que eles nunca estão no mesmo horário em dois lugares diferentes - como você vai explicar para uma criança que eu tirei foto com a Minnie no Magic Kingdom no mesmo horário em que ela viu a Minnie no Epcot? Existem mais de uma? É um adulto numa fantasia? Eles realmente levam a ambientação a sério e isso torna tudo muito mágico!



Os personagens que estavam em suas respectivas atrações foram a Ariel (Magic Kingdom), Woody e Buzz (Hollywood Studios), Aladdin e Jasmine (Epcot), Minnie, Mickey e Pateta (Epcot). Quando eu digo "atrações" é porque há um local destinado especialmente ao encontro com esses personagens e podemos usar o fast pass para deixar de encarar as filas. Os personagens que eu conheci tinham filas bem moderadas, mas no Hall das Princesas (Magic Kingdom) a espera era de três horas só para conhecer a Elsa. Por isso, usem bem seu fast pass!



Já outros personagens ficam espalhados pelos parques, normalmente com hora marcada. É sempre bom olhar nos folhetos para saber quando e que dia encontramos o personagem em determinado lugar, e chegar lá com um pouco de antecedência. Nesses casos, não é possível usar fast pass, mas as filas são bem menores. Me programei para conhecer a Mulan só, os outros personagens encontrei por aí e tirei foto (:



As fotos sempre são tiradas por um fotógrafo oficial e você ganha um cartãozinho para, querendo, efetuar a compra. O problema é que custa em torno de quinze dólares cada foto e acaba ficando caro para nós brasileiros. Por isso, não tenha vergonha de tirar a foto oficial e depois, pedir para que tirem uma foto no seu celular ou câmera - todo mundo faz isso! Claro que normalmente não são tão bem tiradas quanto pelos fotógrafos profissionais, mas pelo menos é mais prático para postar no Instagram hehehe



Só de olhar as fotos já dá para saber que eu voltei a ser criança na Disney, haha. Espero que tenham gostado da postagem, não deixem de conferir os outros artigos que escrevi sobre os parques!

Postagens Relacionadas

Solicitando o Visto Americano - minha experiência


sexta-feira, 5 de abril de 2019

Oi pessoal! Quando fui fazer meu visto tive muitas dúvidas e, apesar de me informar direitinho sobre a documentação necessária, o procedimento e tudo o mais, senti falta de alguém dizendo como realmente é, se havia motivos para ficar nervosa ou até mesmo como chegar ao consulado. Resolvi fazer essa postagem não para substituir as informações oficiais, mas para compartilhar a minha experiência com vocês!



Para visitar os Estados Unidos – seja por turismo, tratamento médico ou qualquer outra coisa – é necessário ter o Visto Americano. A primeira etapa para isso é preencher com bastante atenção o Formulário online DS-160 para só então, depois de o confirmado o pagamento da taxa do visto (MRV), realizar o agendamento no Centro de Atendimento de Solicitante ao Visto (CASV) e a entrevista no Consulado caso necessária. Todos esses passos estão explicados na página da Missão Diplomática dos Estados Unidos – Brasil. Muitas agências fazem esse serviço, mas não acho que valha a pena contratá-las porque será um gasto extra para uma coisa que pode ser feita quase intuitivamente, seguindo os passos da prória página da Missão Diplomática dos EUA no Brasil.

Primeiro marcamos a entrevista no Consulado e depois a visita ao CASV em um dos oito dias úteis anteriores. Na época que fiz, não tinha consulado em Porto Alegre, mas pude realizar a primeira etapa no CASV da minha cidade e foi bastante simples: com o celular desligado, passaporte em mãos e formulário DS-160 impresso, passei por uma fila onde verificavam esses documentos, tirei a foto que consta no meu visto (atenção meninas: tive que prender minha franja!) e coletaram minhas impressões digitais, tudo muito rápido. Agendei a visita ao CASV para 10h, cheguei às 09h40 e, como fui atendida mais cedo, 10h05 já tinha terminado.



A ‘segunda etapa’ é a entrevista no Consulado, realizada nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife e Porto Alegre. Na época que eu fiz o visto, não tinha Consulado em Porto Alegre e, como sou paulistana, aproveitei para conhecer minha cidade, e fui de metrô/trem para o consulado que fica na Rua Henri Dunant, nº 500, há dez minutinhos do shopping Morumbi. Assim como no CASV, eles adiantavam a entrevista de quem chegasse mais cedo, mas também parece que tinham um cuidado com quem chegasse no horário. São várias filas: uma para entrar no Consulado, outra para apresentar os documentos, outra para a revista (apesar de ser proibido, muitas pessoas puderam entrar com mochilas e bolsas. Não arriscaria) e finalmente, aguardávamos no local até sermos chamados para outra fila da entrevista.

O horário marcado era 10h40, cheguei ao Consulado com uma hora de antecedência e pouco depois das 11h estava liberada! A entrevista não é nada formal: são vinte ‘guichês’ semelhantes a um banco, de modo que temos que aguardar a pessoa da frente ser entrevistada. Como o casal na minha frente teve seu visto negado, eu fiquei um tanto nervosa com essa possibilidade, mas a entrevista foi bem rápida e bastante tranquila, já que o objetivo era comprovar o vínculo com o país.



Os documentos obrigatórios são o formulário DS-160 e o passaporte, mas me recomendaram levar comprovante de residência, de renda, atestado de matrícula na faculdade, enfim, tudo que me ajudasse a provar minha intenção de voltar para o Brasil. No final, não precisei apresentar nenhum documento adicional – perguntaram sobre minha faculdade, quem custearia a viagem e o trabalho do meu pai. Mesmo assim, é importante estar preparado para qualquer eventualidade e saber responder o motivo da viagem, como será financiada, quanto tempo ficará, entre outras informações pessoais.

Bem gente, espero que essa postagem tenha ajudado um pouco e que vocês fiquem um pouco mais tranquilos quanto a entrevista no consulado! Preenchendo o formulário corretamente e sabendo explicar e comprovar o motivo da viagem, não há motivos para se preocupar: pensem que esse é o primeiro passo de um grande sonho.

Postagens Relacionadas

Visita ao MASP, em São Paulo


domingo, 31 de março de 2019

Quando fui para São Paulo em 2014 com minha mãe, um dos lugares que mais me chamou a atenção foi o Museu de Artes de São Paulo Assis Chateaubriand, ou, simplesmente, MASP. É ótimo saber que temos um museu desse porte em São Paulo, situado em uma das avenidas mais importantes do país, e visitar o MASP foi uma das experiências mais marcantes daquela viagem. Agora, em 2018, pude repetir a experiência - e foi incrível.

Visita ao MASP Visita ao MASP Segurando o MASP


Dessa vez, pude tirar várias fotos da icônica fachada, que por muito tempo foi considerado o maior vão livre do mundo. A arquitetura do museu é tão legal que vale à pena passar na frente nem que seja só para admirar a construção, mas já adianto que o modo com que as obras estão expostas impressiona e, obviamente, o museu abriga obras-primas que nos fazem sentir gratidão pela oportunidade de ver todas elas ao vivo. Atualmente, o Museu está com uma exposição temporária de esculturas do Aleijadinho, exposição de obras da Maria Auxiliadora, Emanoel Araújo, Ayrson Heráclito e minha seção favorita, o Acervo em Transformação, que ao meu ver é onde ficam as grandes obras de arte.

Visita ao MASP Visita ao MASP Visita ao MASP


Quando digo que o modo com que as obras estão expostas impressiona, é porque a exposição é estruturada de uma forma diferenciada e única em relação aos museus tradicionais: as obras estão expostas em cavaletes de cristal, de modo que os quadros ficam suspensos no ar, proporcionando ao visitante a sensação de passear por uma "floresta de quadros". Outro fator importante é que as informações foram colocadas no verso das obras, ou seja, primeiro temos uma impressão visual para depois sabermos detalhes daquela arte e seu criador. Isso ajuda a ter uma mente mais aberta e valorizar quadros não tão conhecidos por quem é mais leigo.

Visita ao MASPVisita ao MASP 2014/2018: Retrato de Marthe Berard


As obras expostas no Acervo em Transformação variam desde o século 4 a.c até 2008, e contém artes fantásticas de artistas como Renoir, Van Gogh, Velázquez, Monet, Picasso, entre outros consagrados. O MASP também promove um "intercâmbio de obras" com outros museus, então também é possível encontrar muitos quadros do acervo do Museu Tate Modern, de Londres. No site, consta que a coleção do MASP reúne mais de 10.000 obras.

Visita ao MASP Visita ao MASP


Nessa postagem, descrevi como fiquei maravilhada em conhecer a maior coleção de arte europeia do Hemisfério. Mais de três anos depois, ao visitar o MASP pela segunda vez, fiquei me questionando como seria a sensação, se valeria a pena "repetir" a experiência. Ora, por mais que museus sejam homenagens ao passado, tenho a impressão que o passado sempre se renova, e não há como repetir uma mesma experiência, justamente pelas impressões que elas podem nos causar numa primeira, segunda, terceira vez. Tanto eu quanto o Museu estamos diferentes: eu estou mais madura, o museu está reestruturado e, dessa vez, pude apreciar as obras junto da minha mãe e do meu pai. Conhecer o MASP é uma experiência incrível e obrigatória para quem vai à São Paulo, e "re" conhecê-lo é igualmente prazeroso.

Local: Av. Paulista, 1578 - Bela Vista, São Paulo - SP
Horário: terça a domingo, das 10h às 18h | quinta até às 20h
Ingresso: R$ 25,00 inteira | R$ 17,00 estudantes, professores, maiores de 60 | gratuito para crianças até 10 anos | gratuito para todos às terças-feiras
Site oficial: https://masp.org.br

Postagens Relacionadas

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun