Crítica: Homem-Formiga

sexta-feira, 14 de agosto de 2015



Sem nenhuma expectativa, fui assistir Homem-Formiga, que estreou nos cinemas dia 16 de Julho. Verdade seja dita, o filme não tem nenhum apelo comercial e a própria ideia de um herói diminuto é engraçada, mas difícil de ser levada a sério. Qual não foi a minha surpresa ao assistir um filme divertido e ao mesmo tempo bem construído e interessante?



Scott Lang (Paul Rudd) é um ex-ladrão que decide ficar afastado do crime para ter uma chance de conviver com sua filha, Cassie. Quando não encontra um emprego para pagar a pensão, Scott aceita participar do assalto ao cofre do milionário Hank Pym (Michael Douglas), mas tem uma surpresa ao encontrar um estranho traje no lugar de dinheiro. Este traje foi desenvolvido por Hank Pym para diminuir o usuário em tamanho e potencializar ao máximo sua força, mas permaneceu em segredo pelo medo desta tecnologia cair em mãos erradas. Quando o ambicioso Darren Cross (Corey Stoll) está prestes a desenvolver a Jaqueta Amarela, com uma tecnologia também capaz de miniaturizar seres vivos, Scott Lang se vê envolto em uma trama perigosa, na qual tem que aprender a controlar suas novas habilidades e participar de mais um grande assalto para roubar a tecnologia de Cross, se tornando então o Homem-Formiga.



Com um roteiro coeso e bem desenvolvido, Homem Formiga aposta não apenas na retratação do herói, mas nos problemas pessoais dos protagonistas e personagens que fazem o filme não estar tão distante da nossa realidade. Se Hank Pym (Michael Douglas, ótimo no papel) é um homem sensato e amargurado pelo passado, Scott é um cara carismático que quer o bem da filha, anda com ladrões que são 'gente boa' e há vários diálogos no filme interessantes e bem construídos - quando em excesso, o próprio personagem interrompe com um 'uau, belo discurso'. O humor é a peça-chave do filme, cujo enredo inicia semelhante a um 'filme de roubo' e todo o suspense que emana do gênero, mas a todo tempo encontramos características típicas dos filmes de super-heróis, destacando a brilhante interação com o universo dos Vingadores, com várias referências e direito até mesmo à participação do Falcão, presente também em Capitão América - O Soldado Invernal (por sinal, um filme surpreendente e no mesmo nível).



Ainda que pessoalmente não me agrade a ideia de um super-herói minúsculo, é inegável que em Homem Formiga ela foi bem explorada. A transformação de Scott Lang em Homem Formiga e as explicações didáticas sobre os animais do gênero vem numa forma resumida e não cansativa para os expectadores, e por incrível que pareça o filme acerta nas cenas de ação. As habilidades do herói de diminuir e voltar ao tamanho normal tornam as lutas bastante dinâmicas e apesar de soar engraçado (o que é, propositalmente), é interessante ver o herói controlar as formigas para se manter em pé na água ou então, ver sua emocionante luta contra Jaqueta Amarela, com uma perseguição em cima de um trem e arremessamento de objetos que parecem ter uma proporção épica, mas na verdade são apenas brinquedos de criança. Claro que para isso dar certo foi essencial um bom uso dos efeitos especiais e exploração das dimensões que o Homem Formiga experimenta, sendo os vários ângulos responsáveis por uma experiência visualmente impactante.



Independente de considerarmos o Homem-Formiga como um super-herói interessante ou infantil (no meu caso, minha única crítica é justamente o fato de eu julgar a ideia base um tanto boba), é fato que estamos diante de mais uma excelente produção da Marvel. Divertido e empolgante na medida certa, Homem-Formiga tem personagens cativantes, boas cenas de ação e um roteiro cuidadosamente bem explorado. Apesar da importância no Universo Marvel, não tem o apelo dos outros super-heróis a ponto de ser revisto e certamente não tem o mesmo peso de Vingadores, mas vez que o Homem Formiga é estruturalmente melhor, é mais uma prova de que tamanho não é documento.

Postagens relacionadas

5 comentários

  1. Tá todo mundo falando super bem e eu ainda não tive tempo de ir assistir ;;

    http://gotasdecaffe.blogspot.com.br
    https://www.facebook.com/GotasdeCafeblog

    ResponderExcluir
  2. Eu amei a fotografia do filme!! As perspectivas das câmeras, amei =D

    PS: Eu adicionei você no Facebook para inclui-la no grupo Blogueiros Geeks <3

    ResponderExcluir
  3. O humor só foi uma peça chave porque não tem como levar a sério um herói que luta com a estatura menor que a de uma saúva. Tipo, duh!

    ResponderExcluir
  4. Olha, não curto muito super-herois, mas um assim pequenininho me chamou atenção, hahaha!
    Adorei a resenha, super completa e bem escrita, como sempre ;)
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  5. To procurando sala de cinema aqui em Porto Alegre para poder assistir o filme. Não tem uma sessão legendada por aqui :(

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun