Crítica: 007 Contra Spectre

segunda-feira, 9 de novembro de 2015



Depois do excelente 007: Operação Skyfall, era esperado que o novo filme mantivesse certo nível de qualidade, principalmente diante da possibilidade de ser o último filme estrelando Daniel Craig, que está claramente cansado de viver o personagem. De fato, mesmo considerando as tantas cenas de ação, 'cansativo' é um adjetivo adequado para descrever vários aspectos de 007 Contra Spectre, novo filme da franquia.



007 Contra Spectre começa com uma ótima cena de perseguição ação ambientada na Cidade do México, em que James Bond derruba um prédio e inclusive luta dentro de um helicóptero, protagonizando uma promissora sequência. Infelizmente, os minutos iniciais são os melhores momentos do novo filme de 007, pois os sofríveis créditos iniciais embalados pela música "Writing on the wall" já nos avisam de que veremos um Bond à moda antiga. Na trama, enquanto o programa de espiões está quase sendo extinto e James Bond é convidado a tirar "férias" por causa da explosão do prédio, o espião segue as pistas deixadas pela antiga M e descobre que todos os vilões passados faziam parte da organização Spectre, responsável por vários ataques terroristas ao redor do mundo.



Se a sinopse é quase idêntica ao excelente Missão Impossível: Nação Secreta, infelizmente em 007 a história é mal contada e serve de pretexto para encaixar as várias cenas de ação (não tão boas quanto as de Missão Impossível), ou seja, a dinâmica do filme é prejudicada por um roteiro preguiçoso e repleto de clichês. Bem verdade, esses "clichês" são os elementos consagrados nos primeiros filmes da franquia, mas se eles funcionavam no século passado, não funcionam nos dias atuais: 007 Contra Spectre não tem o bom roteiro de Cassino Royale, não tem o dinamismo de Quantum of Solace e não se compara com a genialidade de Skyfall, que mesmo trazendo várias referências aos filmes anteriores para comemorar os 50 anos de 007, fez um interessante equilíbrio entre o antigo e o novo, o que aliás, foi o mote do filme.



A despeito de um bom quadro de coadjuvantes e de uma Bond Girl convincente, interpretada pela francesa Léa Seydoux, Daniel Craig está claramente desmotivado de viver o espião e graças ao roteiro o personagem abandona os dilemas anteriormente vividos pelo autor e reduz seu protagonismo apenas à socos, tiros e escapadas. O brilhante Christoph Waltz não está tão brilhante assim e as motivações do vilão são risíveis, se é que podemos chamar o fraco e mal-explorado drama familiar de motivação para criar uma organização importante, mas cujas ações também não foram tão aprofundadas. Ah sim, se você for rápido o bastante, vai perceber a participação de Monica Bellucci no filme, em uma personagem sem nenhuma importância.



O mais interessante nos filmes estrelados por Daniel Craig é que trouxe menos 007 e mais James Bond, apresentou um espião competente e com energia, mas ao mesmo tempo um humano ciente da sua maturidade, do seu passado, das suas dores e do papel a cumprir. Nesse sentido, não se pode negar que 007 Contra Spectre é um verdadeiro regresso, que se esbalda nos clichês que os últimos três filmes conseguiram escapar, porém sem trazer nada de novo. É verdade que tem pontos positivos e não chega a ser um filme absurdamente ruim, mas certamente será esquecido entre os 24 filmes da série.

Postagens relacionadas

9 comentários

  1. Concordo plenamente sobre os filmes com o Craig!
    Uma coisa que sempre me irritou nos filmes da série é essa coisa "sobre-humana" do personagem. Ele nunca erra, sempre sabe de tudo.... cara chato!

    Os últimos filmes do Bond são muito mais realistas! E para mim, isso só acrescenta, sabe?
    Fica muito mais interessante a história quando o personagem pode errar e ficar confuso. Fica um pouco mais próximo...

    Beijos Vick!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

    ResponderExcluir
  2. Não assisti esse filme, mas depois de ler seu post fiquei bem desanimada para assistir. Ninguém merece mais clichês em filmes de 007, né? E o pobre do Daniel Craig está cansado mesmo... tá na hora de trocar o ator.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  3. 1)Mana, que saudade! Como você está?
    2) AMO suas resenhas, dona Vickawaii ♥. Geralmente me faz até querer assistir até filmes que não me interessam, 007 seria um desses, mas daí vi que não corresponde as expectativas e boto fé que nem vou perder meu tempo (não sou fã de ação mesmo) HAUEHUAEH.
    3) Tadinho do Craig, detesto quando usam o mesmo ator pra fazer sempre o mesmo personagem, o artista fica preso àquele tipo e já elvis - ainda mais quando rola o que rolou neste caso, fizeram o clássico regredir para uma história marromeno e para um vilão RISÍVEL (Carai, um vilão risível em 007 é bem desapontador)... Adoro o trabalho do Craig, o meu preferido é "Um ato de liberdade".
    4) Para de sumiiir, muié <333

    Um beeeeeeijão =*


    ResponderExcluir
  4. Fico muito feliz por encontrar uma pessoa que finalmente pensa como eu. Quando eu vejo o ator, vejo uma pessoa cansada do papel ahuhauhauhauauhuahuahuahuah

    ResponderExcluir
  5. Até hoje não assisti um único filme da série 007, hahahahahaha. Não sei o que acontece, mas quando começa a passar o comercial, já fico com preguiça e aí nunca tenho coragem de assistir... Os recentes eu nem tentei, porque se não consegui ver os antigos - e eu sou a louca do cinema clássico -, imagino o que vou pensar desses filmes com o Daniel Craig, ahahahahaha :P

    E o engraçado é que eu adoro ação. Mas, sei lá o que acontece... Vai entender =/

    ResponderExcluir
  6. Puxa, que droga. Da pra ver mesmo que o Craig já está "de saco cheio". Eu nunca vi nenhum 007 ._. e esse acho que vou passar longe hehehe
    boa semana :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  7. Eu ia assistir no final de semana, estava na pauta para ser a crítica de ontem no blog, porém só li critica desanimadora e acabamos nem ir assistir, mas eu queri para ver esse retrocesso.
    Eu ate gostei do filme anterior, a trilha sonora, o tom mais sombrio, mas esse parece que nada né? rsrs
    Gostei da sua crítica :)
    Beijinhos,
    http://meroodetalhe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Que pena, o último 007 de Daniel Craig deveria ser em Skyfall, pelo menos teria encerrado bem, lendo essa resenha até desanimei de ver. Não sou fã de 007, mas vi dois dos filmes de Craig e gostei muito dos dois(leia-se Cassino Royale e Skyfall). Acho que vou assistir só para confirmar o que você disse. ;)

    ResponderExcluir
  9. Vicki, tenho que confessar que adorei Missão Impossivel: Nação secreta e se vc diz que nem chega perto não vou perder meu tempo! ;)
    Bjs

    http://achadosdamila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun