Objetivos de vida para crianças (e adultos também!)

domingo, 31 de dezembro de 2017

Quando me perguntam qual foi o livro mais importante da minha infância, normalmente respondo "Harry Potter" ou ainda, "O Mundo de Sofia", já que ambos foram fundamentais para minha visão do mundo. No entanto, talvez a pedra fundamental tenha sido um livro fininho e cheio de gravuras, daqueles que ganhamos quando recém aprendemos a ler: Objetivos de vida para crianças.



Em Objetivos de vida para crianças, um professor, ao dar aula para seus aluninhos, ensina que nós somos como um pequeno jardim, onde tudo que se planta cresce. Se semearmos medo, angústia, tristeza, estaremos alimentando tais sentimentos, mas se semearmos amor, amizade, alegria, compaixão, seremos tomados por essas emoções. Da mesma forma, nossos sonhos são como uma sementinha, que devemos plantar, regar e cuidar com muito carinho para que eles floresçam e se realizem.

Com a linguagem extremamente simples típica dos livros infantis - afinal, é voltado para crianças recém alfabetizados -, esse livro me ensinou conceitos como determinação e comprometimento, mostrando que eu sou a responsável pelo que planto no meu jardim. Graças ao livro, desde criança procurei semear bons sentimentos em mim e nos outros, bem como cuidei de meus sonhos desde pequena, a ponto de hoje alguns deles já terem se realizado.

Toda essa conversa sobre "plantar sentimentos" e "jardins de sonhos" parece ser muito subjetiva e, para ser sincera, não acredito muito em "troca de energia" e "atrair coisas boas", apesar de também não negar. No entanto, eu tenho certeza que nossas atitudes e escolhas podem ser muito mais proveitosas dependendo do modo com que enxergamos a vida, e daí a importância de "plantar sentimentos bons". Se tivermos uma visão mais otimista da vida, até mesmo nossos problemas podem se tornar uma experiência positiva.

É verdade que a vida adulta nos impõe objetivos bem diferentes do que sonhávamos quando crianças e devemos conviver com certas situações que não estão no objetivo de vida de ninguém. Mas não podemos deixar de sonhar e muito menos de alimentar os nossos sonhos. É possível manter os pés no chão e, com essa postura realista, continuar correndo atrás dos nossos sonhos, os transformando em metas e nos questionando sobre o que podemos fazer para torná-los realidade.

Durante o mês de janeiro, não teremos postagens novas, mas o motivo é a realização de mais um sonho. Com esse pequeno texto, encerro o ano de 2017 desejando que neste ano novo cada um cuide do seu jardim da melhor forma possível. Que 2018 traga novos aromas, que nossos sonhos cresçam e floresçam e que nossas mudas deixem ainda mais belo o nosso jardim. Feliz ano novo!

Postagens relacionadas

6 comentários

  1. Eu acho que a gente tem TANTO o que aprender com livros infantis... Esses de início da alfabetização mesmo, que quando criança muitas vezes só enxergamos como uma pequena diversão cheia de desenhos bonitos, mas que láááááááááááá no fundo nos ensinou alguma coisa... Eu sinto isso com o meu favorito dessa época, Flicts, do Ziraldo.
    Realmente, só querer coisas boas não vai atraí-las magicamente pra nossa vida. Mas repeli-las também não! O pensamento positivo é o primeiro passo pra ter força de vontade de fazer acontecer!

    ResponderExcluir
  2. Era aquele com um menino atrás da porte a porta tinha olhos e mãos? hahah lembro de uma edição assim (mas é claro que ja devem ter aparecido várias). Eu aprendi muito mais com histórias infantis dos que as ficções que estou acostumada a ler. São livros leves, objetivos e simples <3 O meu foi Pollyanna rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Feliz 2018 pra ti, Vitoria! :)
    Eu não lembro desse livro infantil, mas que mensagem bacana ele passa.
    Espero que você esteja aproveitando muito sua viagem e essa realização de sonho, depois venha contar pra gente como foi.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Oi Victória!
    Amei amei esse post, meu deu super curiosidade sobre esse livrinho, que eu não conhecia, mas que parece ser incrível para presentear crianças (adoro dar livros de presente... eheheh). Acho que, com boas comparações, muita coisa pode ser passada à elas de uma maneira natural e que vai durar pra vida! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  5. Oi, Vicki.
    Feliz ano novo atrasadíssimo e que seu sonho de janeiros seja maravilhoso!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Que lindo! Eu sempre valorizei muito o ensino e o cuidado que devemos ter com as crianças. Muitos adultos subestimam a capacidade dos pequenos, por acharem que não entendem das coisas, ou que não se lembrarão do que viveram na infância. Eu sou prova viva (e creio que você também, depois deste texto) de que as sementes que plantam em nossas vidas, mesmo na infância, crescem e florescem ao longo de toda a vida.

    Não devemos subestimar as crianças, assim como não gostávamos de ser subestimados quando éramos menores. É incrível como uma certa "classe" de adultos parece se esquecer que já foi criança um dia. Felizmente não faço parte dela.

    Apesar de, hoje em dia, ser muito questionada, o livro que me ensinou muita coisa quando eu era criança foi a Bíblia. Cresci num lar cristão e, apesar dos altos e baixos que minha vida tomou, eu sou grato aos meus pais por me incentivarem a conhecer as histórias de pessoas que fizeram o bem e que, mesmo sofrendo, não negociaram seu caráter, sua integridade. Ela também me ajudou a ler melhor devido à linguagem antiga, ter um vocabulário melhor do que os meus colegas de classe, que não tinham o hábito da leitura.

    Harry Potter também marcou muito minha adolescência, mas não tirava tantas lições de moral dos livros, pra mim era mais a parte da fantasia mesmo.

    Depois de grande, um livro que tem mudado muito a minha vida, especialmente para o alcance de meus projetos (antes chamados de sonhos), foi "Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes", que não é um livro de auto-ajuda, mas um livro que trabalha princípios na vida do adulto (como esse que você mencionou trabalhou seus princípios de semear e colher, na infância). Ele não entrega fórmulas ou receitas, mas ensina a você desenvolver seus próprios interesses pessoais, afetivos, familiares, profissionais, dentro do que você tem como missão para sua vida.

    Super recomendo!

    Um grande beijo!

    http://ocoracaodomenino.blogstpot.com

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook:

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun