Crítica: Missão Impossível - Efeito Fallout


sábado, 1 de setembro de 2018

Dentre tantos filmes de ação que vão e voltam com o tempo, uma das mais bem sucedidas franquias da atualidade é Missão Impossível, estrelada pelo ator Tom Cruise. Com cenas repletas de adrenalina e missões que sempre desafiam a barreira do possível, a franquia chega em seu sexto filme, Efeito Fallout, demonstrando que a série, ao contrário de se mostrar cansativa, está no seu auge.

Crítica Missão Impossível Efeito Fallout


Dando continuidade aos acontecimentos de Nação Secreta, mas sem exigir do telespectador conhecimento sobre o filme anterior, Efeito Fallout, também dirigido por Christopher McQuarrie, coloca Ethan Hunt (Tom Cruise) em uma nova missão impossível: destruir uma organização terrorista criada por membros remanescentes do Sindicato (grupo anarquista do filme anterior) e impedir uma ameaça nuclear. Para tanto, Hunt acaba reavaliando antigos erros do passado e refletindo acerca de seus princípios e motivação, afinal, muitos dos perigos enfrentados por Hunt são justamente em razão de acabar sempre salvando aqueles que ama.



É fácil elogiar Missão Impossível: as cenas são muito bem feitas, Tom Cruise é um ator muito carismático e a trilha sonora é primorosa, ainda que a música clássica de Missão Impossível esteja presente de uma forma discreta e elegante ao fundo das cenas. Já o roteiro é padrão dos demais filmes de ação e não traz nenhuma novidade, mas ganha pontos por se alinhar com os filmes anteriores, como acontecimentos diretamente ligados ao novo filme. O elenco tem poucos rostos novos (com destaque para a loira Vanessa Kirby), mas traz antigos personagens e é gratificante ver Tom Cruise contracenar novamente com Rebecca Ferguson que, na pele da agente dupla Ilsa Faust, novamente nos encanta pela sua ambiguidade e boa química com o ator. Já o personagem de Henry Cavill não me agrada, mas teve boas cenas ao lado do protagonista. A verdade é que todos estavam bem em seus papéis.

Crítica Missão Impossível Efeito Fallout


É comum os filmes da franquia se passarem em cidades como Viena, Dubai e Praga e, desta vez, Efeito Fallout tem excelentes cenas em Paris e Londres. O interessante é que os lugares escolhidos não estão ali como mero plano de fundo, mas há uma grande interação entre o cenário e o protagonista, o que se vê na alucinante perseguição envolvendo carros e motos pelas ruas de Paris - desta vez, cheia de pedestres e veículos -, ou mesmo a cena em que Ethan Hunt se arrisca por cima dos prédios em Londres. Tal cena, aliás, é mais um demonstrativo de como Tom Cruise se arrisca dispensando dublês no filme, o que certamente é um dos aspectos mais elogiáveis do ator, que se dedica inteiramente para dar a maior fidedignidade possível à franquia. Mesmo com os exageros e o grande uso de computação gráfica - que, frisa-se, não é evidente -, é interessante o esforço de fazer com que todas as explosões, perseguições, cenas impossíveis de acontecer pareçam críveis aos olhos do espectador, tornando as chamadas Missões Impossíveis ainda mais atrativas. O destaque, obviamente, é para os acontecimentos finais, que envolvem uma perigosa perseguição de helicóptero e muita ação.

Crítica Missão Impossível Efeito Fallout


Missão Impossível - Efeito Fallout pode ser considerado o filme mais completo da franquia. Efeito Fallout consegue reunir todos os elementos consagrados nos filmes anteriores, arremata pontas soltas e sua trama interage com o passado da protagonista, trazendo antigos personagens e fazendo uso de antigas técnicas utilizadas por Ethan Hunt e sua equipe. É um filme que me deixou ansiosa para ir ao cinema e que cumpre as expectativas. Se é impossível uma franquia se manter por tanto tempo e melhorar cada vez mais ao longo dos seis filmes, Efeito Fallout cumpre essa missão.

Postagens Relacionadas

8 comentários

  1. Olha, talvez eu esteja sonhando demais, mas penso que Missão Impossível possa alcançar meus netos com tantas franquias oriundas. Talvez o elenco se renove, mas a premissa continuará a nos maravilhar e em parte esse sucesso todo se dá exatamente pelo fato do ator principal se entregar literalmente, isso conta muito no resultado final.
    Ainda não acompanhei Efeito Fallout, mas mal posso esperar.
    Abraços! 😊

    ResponderExcluir
  2. Ainda não assisti esse filme, mas está na lista, afinal para quem acompanha filme de ação missão impossível faz parte das franquias clássicas do gênero. Fiquei animada com sua resenha ao saber que esse filme não decepcionou e como você disse pode ser considerado o mais completo.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Os filmes do Tom Cruise são um verdadeiro sucesso, ainda não olhei, mas só pela sua crítica deu vontade de olhar e eu não sou muito fã de filmes de ação.

    ResponderExcluir
  5. Olá. Não vou mentir gosto de filmes com muita adrenalina. Assisti outros longas da franquia,mas, esse por ter sido muito completo, achei extremamente cansativo, inclusive dormi em algumas cenas e olha que fui ver no cinema rsrs. Tirando esse fato, os efeitos são sempre muito bons e a música que já é marca registrada me remete mais emoção. Meu noivo inclusive filmou um casamento em que a entrada das alianças era com a trilha.

    ResponderExcluir
  6. Sempre será uma das minhas franquias de ação favoritas e o ator também haha sou fã da trilha sonora e das cenas de ação que fazem o coração pula do peito!

    ResponderExcluir
  7. Amo a franquia e não vejo a hora de assistir esse filme, acredito que vou amar. Sua crítica ficou ótima.

    ResponderExcluir
  8. Nossa, não sabia dessa franquia. Sinceramente, não ando tão ligada em filmes e lançamentos nos últimos tempos, mas achei a premissa um tanto interessante, pois parece ter muita ação, e adoro filmes assim *-* Ah, e é ótimo quando conseguem fazer sequências tão boas quanto o filme original :)

    ResponderExcluir

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun