Museu Van Gogh, em Amsterdam


sábado, 24 de fevereiro de 2018

De todos os museus que eu visitei nessa viagem, um dos que eu mais gostei de conhecer certamente foi o Museu do Van Gogh. Vincent van Gogh é um dos pintores mais famosos - e mais talentosos - da história e todo mundo conhece pelo menos um quadro dele. Apesar disso, a maioria lembra de algumas poucas obras de arte e do fato artista ter cortado sua orelha. Um episódio marcante, é verdade, mas há muito mais o que saber sobre a trajetória de Van Gogh - e o museu oportuniza conhecer toda a sua história.


Autorretrato com Chapéu de Feltro, 1887

O Museu Van Gogh localiza-se na Museumplein, em Amsterdam, e é um museu dedicado às obras do artista, contendo um acervo com mais 200 obras fascinantes e algumas das mais famosas do mundo. Nele, é possível encontrar uma coleção imensa de autorretratos do artista (já pararam para pensar que era o jeito do Vincent tirar selfies?), quadros marcantes como "Doze girassóis numa jarra” e "Os Comedores de Batata", cartas autênticas encaminhadas por Van Gogh ao seu irmão Theo e muito mais, já que vários eventos culturais são realizados dentro do museu. Há também várias obras de artistas que influenciaram o estilo de Van Gogh ou se relacionaram com o pintor de alguma maneira, mas o tema central do museu, evidentemente, é o desenvolvimento de Van Gogh como artista. É absolutamente incrível ver suas pinceladas ao vivo.

Leia também:
Passeio de barco pelos canais de Amsterdam
Visita ao Rijksmuseum, em Amsterdam



Foto: Jan Kees Steenman | Fonte: site oficial

Em geral, há quem não consiga apreciar uma visita a museus porque acaba vendo várias obras em sequência sem se envolver com o que está exposto. Em vários momentos ao longo da viagem eu estava bem cansada para refletir adequadamente sobre determinada atração, mas o Museu Van Gogh não tem esse problema: é um museu interativo e informativo, fácil de acompanhar e muitíssimo interessante. Acontece que, além dele ser dedicado inteiramente ao pintor, ele é composto de quatro andares que apresentam de forma organizada a obra e a vida de Van Gogh, mostrando seus primeiros trabalhos, seu desenvolvimento como pintor pós-impressionista e comparando com outras obras famosas. É um museu que todo mundo consegue aproveitar bem e ninguém fica perdido, pois tudo é exposto de forma a estimular o envolvimento do visitante com o acervo.


Os Comedores de Batata, 1885

Nascido em 1853 na cidade de Zundert, Vincent Van Gogh não foi famoso em vida, mas a dedicou quase que exclusivamente à arte. Em verdade, Van Gogh trabalhou como vendedor de arte quando jovem e frequentou um seminário de teologia por um ano até que resolveu dedicar sua vida à arte, em 1881. Van Gogh dedicou-se a retratar paisagens do campo, foi para Paris estudar os movimentos artísticos da época - ocasião em que teve contato com vários artistas importantes, como seu amigo Gauguin -, mudou-se para Arles e teve um período muito produtivo artisticamente, ao mesmo tempo que seu psicológico piorava. No museu, conhecemos toda a trajetória pessoal e profissional do pintor e associamos os períodos de sua vida com as obras produzidas. Van Gogh teve uma produção excepcional e é muito interessante acompanhar como ele desenvolveu e criou seu estilo, que mais tarde seria reconhecido por milhares ao redor do mundo. Pena que seu suicídio interrompeu a possível carreira de Van Gogh, e sua genialidade só foi reconhecida após a morte.


Amendoeira em Flor, 1890

Visitamos o Museu Van Gogh durante a manhã e levamos cerca de duas horas para conhecer todo o museu, já que sempre líamos as informações dos painéis e das obras. Outra maneira de aproveitar o museu é agendar uma visita guiada ou ainda, alugar um áudio guia por cinco euros, disponível em vários idiomas. De qualquer forma, o museu é bastante frequentado e li em vários lugares que as filas são bem grandes, por isso é recomendado comprar o ingresso online, com dia e horário agendados. O museu é bastante espaçoso e a estrutura é muito moderna, já que o lugar foi projetado para ser um museu desde o início.



É claro que todo museu oferece uma experiência única e tende, em geral, a aumentar nosso interesse pela arte. Ocorre que o Museu Van Gogh faz isso de uma forma muito atrativa e nos conduz não apenas a apreciar o que esta exposto, como refletir sobre seu significado. Não apenas apreciamos a beleza de uma pintura porque ela é bela, mas acabamos entendendo o contexto da obra, o que o pintor quis transmitir, o quanto foi estudado para chegar naquele resultado e, claro, conhecemos mais sobre a vida do próprio artista, o que torna uma visita ao Museu Van Gogh realmente enriquecedora. É um passeio imperdível para se fazer em Amsterdam, e um dos museus que eu mais gostei de visitar!

Local: Museumplein 6, 1071 DJ Amsterdam, Holanda
Horário: diariamente das 9h às 17h | Sexta até às 22h (consulte no site)
Ingresso: 18 euros | gratuito até 17 anos | áudio guia: 5 euros
Site oficial: www.vangoghmuseum.nl
Observação: Exceto quando sinalizado, não é permitido tirar fotos do museu. As fotos que ilustram esse artigo foram retiradas do site oficial.

* Recebemos os ingressos para o Museu Van Gogh como cortesia para o blog, porém, todas as opiniões são verdadeiras e refletem nossa experiência pessoal.

Postagens Relacionadas

2 comentários

  1. Obrigada por dares a conhecer o museu através dos teus olhos! Também gosto de museus interactivos e reconheço que este artista teve algum destaque na minha vida quando eu era mais nova e estava a aprender a desenhar! :D

    O meu blog: http://missdeblogger.blogspot.pt

    ResponderExcluir

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun