Crítica: Capitã Marvel


segunda-feira, 25 de março de 2019

Depois de mais de vinte filmes do Universo Cinematográfico Marvel, finalmente temos o primeiro protagonizado por uma heroína: Capitã Marvel. O filme é sucesso de bilheteria e conta a história de origem da heroína que parece ser a peça chave para derrotar Thanos em Vingadores: Ultimato.

crítica filme Capitã Marvel


O filme começa mostrando Vers (Brie Larson), uma integrante do exército Kree que acaba parando na Terra em uma missão contra os Skrulls, seres metamorfos conhecidos por invadirem mundos. Na Terra, Vers, que até então nada sabia sobre sua origem e era constantemente incentivada a "deixar suas emoções de lado", acaba descobrindo que tinha um passado na Terra como Carol Danvers, ex-agente da Força Aérea norte-americana, passando a investigar sua história, a origem de seus poderes e outras peculiaridades na guerra dos Kree contra os Skrulls, sempre acompanhada do agente Nick Fury (Samuel L. Jackson), que fica impressionado ao conhecer um ser poderoso como a Capitã Marvel.



Capitã Marvel começa mostrando uma heroína confusa sobre si mesmo e essa atmosfera também confunde o espectador, já que são apresentadas cenas esparsas sobre seu passado e sua missão. Contudo, à medida que a história ganha contorno, descobrimos mais sobre a história da heroína na Terra e como ela se tornou o ser poderoso que é. O roteiro é interessante e conta uma boa história de superação, de manter-se firme mesmo na adversidade e, sim, é importante ressaltar o papel do feminismo. Capitã Marvel poderia ser um filme de herói como qualquer outro, e na verdade, ele é. Há o "herói" super poderoso que não precisa sorrir para agradar, há o melhor "amigo" piloto que resolve ajudar na missão, há o "chefe" que é fonte de inspiração...Com a diferença que todas esses personagens são mulheres. E, apesar da mensagem ficar clara, tudo é feito com a naturalidade que deve ter, reforçando a personalidade de Carol Danvers e que ela pode sim, ser um dos seres mais poderosos do universo.

crítica filme Capitã Marvel


Quanto à qualidade técnica do filme, infelizmente o filme tem poucos cenários e o mundo dos Kree não consegue impressionar como os lugares de Thor: Ragnarok, mas a atmosfera 'anos 90' está presente nas vestimentas e na trilha sonora. Os efeitos tem a qualidade padrão dos filmes da Marvel e as atuações estão boas, sendo que a ganhadora do Oscar Brie Larson convence como Capitã Marvel. Contudo, o grande destaque é a interação da heroína com o personagem de outro ator consagrado, Samuel L Jackson, rejuvenescido digitalmente para a década de 90. Fazia tempo que não assistia a um filme novo com o ator tão presente, e a química entre os protagonistas é muito boa. Felizmente, é bom lembrar desde já: a "química" refere-se aos diálogos e a ligação que acabam criando os dois personagens, porque não há interesse romântico no filme Capitã Marvel.

crítica filme Capitã Marvel


Apesar de todos os pontos positivos, ainda assim é possível citar dez filmes do Universo Marvel Cinematográfico que são melhores que Capitã Marvel, de forma que o filme é, literalmente, mediano. Com uma heroína tão importante sendo introduzida, era de se esperar um filme muito melhor. Não obstante, Capitã Marvel ainda é um bom filme de origem e nos deixa ansiosos por uma participação maior da heroína na equipe dos Vingadores.

Postagens Relacionadas

0 comentários

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun