Crítica: Homem-Formiga e a Vespa


segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Sucesso inusitado do Universo Cinematográfico Marvel, três anos depois o Homem-Formiga (que já tinha feito uma pontinha em Capitão América: Guerra Civil) finalmente ganha uma sequência, além de, oficialmente, passar a contar com uma parceira: Homem-Formiga e a Vespa.

Crítica Homem Formiga e a Vespa


Depois de ter lutado ao lado de Capitão América, Scott Lang (Paul Rudd) é condenado a dois anos de prisão domiciliar por ter quebrado o Tratado de Sokovia, inclusive com a condição de não entrar mais em contato com os envolvidos na criação dos apetrechos do Homem-Formiga. Quando faltam três dias para o término do prazo, Scott é convocado por Hope van Dyne (Evangeline Lilly) e Dr. Hank Pym (Michael Douglas) para uma nova missão urgente: construir um túnel quântico, com o objetivo de resgatar Janet de seu limbo. No entanto, há mais pessoas interessadas nesta tecnologia, de modo que Scott tem que assumir novamente o posto de Homem-Formiga e lutar ao lado da Vespa para proteger as tecnologias do Dr. Pym e concluir a missão.



Assim como no filme anterior, as habilidades do Homem-Formiga e da Vespa são muito bem exploradas e o filme brinca com as proporções que as coisas podem tomar, o que rende tanto cenas de comédia quanto excelentes cenas de ação, incluindo uma perseguição de carros que funciona muito bem nas lombas de São Francisco. A experiência visual, novamente, é impactante, e este é um dos raros filmes em que é recomendado ver em IMAX, 3D ou a melhor qualidade possível. A Vespa também é responsável por protagonizar ótimas cenas de luta, inclusive contra vários personagens ao mesmo tempo, apresentando-se não como uma "parceira à altura", mas sim, uma heroína ainda mais habilidosa que o herói principal, sendo inclusive a primeira heroína a integrar o título de um filme da Marvel.

Crítica Homem Formiga e a Vespa


Se por um lado os efeitos se mantém ao nível do filme anterior, o roteiro de Homem-Formiga e a Vespa é um pouco mais raso e não tem o mesmo atrativo do filme antecessor, que assemelhava-se a um "filme de roubo". Dessa vez, é ação atrás de ação, poucas explicações científicas e o arco mais sério do filme é o drama vivido pela personagem Fantasma, que é pouco comovente. No entanto, temos bons diálogos e boas atuações por parte de Paul Rudd, Evangeline Lilly, Michael Douglas e Laurence Fishburne, e o próprio roteiro em si não chega a prejudicar o filme, cuja proposta é unicamente entreter o telespectador, missão essa cumprida sem qualquer dificuldade.

Crítica Homem Formiga e a Vespa


Homem-Formiga e a Vespa pode ser levemente inferior ao filme de estreia, mas novamente destaca-se pela excelente produção, com bastante dinamismo, humor e cenas empolgantes. O trio principal funciona muito bem em tela e é interessante a Marvel ter estabelecido Homem-Formiga dentro do universo dos Vingadores, mas criar um cenário independente deste. É claro que nos próximos filmes teremos as personagens ainda mais integradas com o restante do Universo Marvel Cinematográfico, mas, por ora, cabe dizer que é um excelente entretenimento e certamente um filme muito melhor que alguns heróis do alto escalão.

Postagens Relacionadas

3 comentários

  1. Eu ainda não vi o filme hahaha
    Estou super atrasada, perdi cartaz no cinema e agora estou aqui esperando sair em algum lugar ahuahuahuah Mas já me disseram o mesmo vc abordou, sobre ser levemente inferior que o primeiro...

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu amo os filmes da Marvel, quero muito ver esse, esperei muito por ele. Gostei bastante da critca.

    ResponderExcluir
  3. Adoro filmes da Marvel mas ainda não vi o primeiro nem esse... tanta gente conhecida falou mal do primeiro que desanimei! hahaha
    Mas agora fiquei curiosa
    Adorei o post!
    Beijos,
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun