Crítica: Vingadores - Guerra Infinita


domingo, 29 de abril de 2018

Quando fomos ao cinema em 2008 para assistir ao primeiro filme do Homem de Ferro, ninguém imaginava que aquele era o início de um projeto tão grandioso e ousado: o Universo Cinematográfico Marvel. Foram dezoito filmes com a proposta inédita de reunir uma série de heróis advindos de histórias diferentes no cinema, uma ideia arriscada, mas que provou ser um sucesso com o primeiro filme dos Vingadores. Dez anos depois, podemos ver o ápice desse projeto, em um verdadeiro épico que certamente é o filme mais imponente da Marvel: Vingadores - Guerra Infinita.

Crítica Vingadores Guerra Infinita


Vingadores: Guerra Infinita se passa logo após os acontecimentos de Thor: Ragnarok, quando a nave dos asgardianos é atacada pelo ser mais poderoso da galáxia: Thanos, que está atrás das seis joias do infinito - espaço, mente, alma, realidade, tempo, poder - para, com seu poder, destruir metade da vida no universo com um estalar de dedos. Enquanto o paradeiro da joia da alma é desconhecido, algumas joias - como a da Mente, que dá vida ao Visão, e a joia do Tempo, protegida pelo Doutor Estranho - estão localizadas na Terra, de modo que cabe aos Vingadores se reorganizarem para impedir Thanos de atingir seu objetivo.

Crítica Vingadores Guerra Infinita


Guerra Infinita é o projeto mais ambicioso da Marvel e permeado pela grande dificuldade de criar uma história coesa envolvendo tantas personagens, histórias e mesmo estilos diferentes. É certo que o MCU (sigla inglesa para Universo Cinematográfico Marvel) tem uma espécie de padronização em seus filmes e foi bem sucedido em interligar os dezoito filmes anteriores, mas como mesclar o humor escrachado dos Guardiões da Galáxia com um dos momentos mais sombrios da Marvel, ainda mais quando o último filme reunindo a maior parte dos Vingadores (Capitão América: Guerra Civil) terminou com a equipe fragmentada e defasada? Já não temos um Homem de Ferro autoconfiante e o Capitão America não usa mais as cores americanas ou o logotipo dos Vingadores. Todavia, os Irmãos Russo conseguiram entregar um épico do apontado "gênero" super-heróis, um filme de duas horas e quarenta minutos que a todo momento envolve e prende a atenção do telespectador. As piadas, onipresentes em todos os filmes da Marvel, também estão ali, mas cedem espaço ao drama e à desesperança quando necessário.

Crítica Vingadores Guerra Infinita


Para dar destaque apropriado aos mais de vinte heróis que aparecem no longa, as personagens são divididas em diferentes núcleos narrativos, possibilitando o espectador a acompanhar eventos paralelos (muitos situados no Espaço, e aqui há mais um acerto do filme em apresentar vários cenários) e ver combinações inovadoras nos filmes dos Vingadores, como a relação entre Thor e os Guardiões da Galáxia e as cenas protagonizadas pelo Doutor Estranho, Homem de Ferro e Homem Aranha. Em que pese algumas cenas sejam mais empolgantes que outras e alguns heróis pudessem ter sido melhores aproveitados, como Hulk, Pantera Negra e Feiticeira Escarlate, todos tiveram seu merecido tempo de tela e a dinâmica funciona perfeitamente, não trazendo nenhum ônus ao filme. No aspecto, é impressionante a sinergia entre as personagens, que garante excelentes cenas de ação (o que dizer de absolutamente todas as lutas contra Thanos?) e momentos emocionantes, capazes de mexer com os sentimentos do espectador.

Crítica Vingadores Guerra Infinita


Como todas as personagens já foram devidamente exploradas em filmes anteriores, Guerra Infinita prioriza acertadamente a apresentação de um dos melhores (se não o melhor) vilão da Marvel: Thanos. O titã construído em CGI, cuja ambição é conseguir todas as joias do infinito para matar metade do universo, ganha humanidade não apenas pelo eficiente trabalho técnico, mas pela atuação de Josh Brolin, que entrega um vilão de múltiplas dimensões com motivações críveis, uma personalidade carismática e, principalmente, o medo que a criatura mais poderosa da galáxia deve despertar. Cada vez que Thanos enfrenta um personagem, já esperamos, infelizmente, o pior acontecer. Por outro lado, chega a ser curioso como o vilão se sente em relação ao seu próprio passado e suas motivações, como ele acredita em sua missão. Thanos é grande protagonista do filme e a única personagem cujo arco tem início, meio e fim - e o final certamente é o mais impactante do Universo Cinematográfico Marvel.

Crítica Vingadores Guerra Infinita


Vingadores - Guerra Infinita é um filme que promete muito e, quando isso acontece, é muito fácil o público se decepcionar pelas expectativas não serem correspondidas. Este, no entanto, não é o problema de Guerra Infinita, que se trata de um filme coeso, impactante, uma síntese de tudo que foi produzido ao longo dos dez anos que acompanhamos os heróis. A história pode não ser tão complexa quanto (alguns) filmes antecessores, mas certamente o trabalho de conduzir uma série de histórias à trama de Guerra Infinita e dar um desfecho apropriado para a mesma faz do filme o mais desafiador até então. Desafio este que foi cumprido com maestria pela Marvel, tornando Guerra Infinita um filme monumental.

Postagens Relacionadas

6 comentários

  1. Assisti esse filme no final de semana que lançou e eu não estava colocando tanta expectativa, mas gostei muitissimo do filme, fiquei triste com as mortes? fiquei, especialmente com a do homem aranha, mas mesmo assim gostei bastante do filme, principalmente por está sempre acontecendo algo relevante nele, isso fez com que eu não quisesse piscar pra não perder nem um segundos e quer

    Xoxo, Meowgical Girl!
    www.meowgicalgirl.com

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei bastante do filme! Foi uma experiência muito bacana ver a sinergia entre os heróis! Realmente thanos é um vilão e tanto! Acho que não teve uma pessoa que não ficou impressionada com os eventos surpreendentes do final!
    Um beijo!
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
  3. Gente super curiosa por este filme. Afinal foram 10 anos para chegarmos a este momento. Parabéns pelo texto por contar sobre a história sem dar spoilers.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
  4. Para mim, Guerra Infinita foi excepcional e se tornou um dos melhores filmes da Marvel e de super-heróis! Com toda certeza entrou para o meu topo pessoal de favoritos. É um filme que mescla emoções diversas de um jeito coeso e que faz sentido: você ri, chora e se sente dentro da ação. Os personagens estão em suas formas melhores do que nunca e as mulheres estão vindo com mais participação e espaço (algo que ainda almejo ver com mais força). É um filme completo e que me causou ótimas sensações.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Que crítica maravilhosa!!! ❤
    Eu AMEI o filme! É lindo, é épico, extremamente emocional. Tenho que escrever uma crítica lá no blog também mas ta difícil colocar tudo no papel.

    ResponderExcluir
  6. Eu fiz de tudo pra ir assistir o filme quando entrou em cartaz, confesso que o frio na barriga foi enorme por ter tanto personagem junto, mas foi super bem construído e me deixou vidrada na tela até o fim e sim, não sai enquanto não apareceu a cena pós créditos.
    Foi bom se aprofundar no vilão afinal já temos todos ou quase todos os heróis apresentados nos filmes anteriores e me apaixonei pelo Thanos a determinação pra conseguir o que queria, ainda que tenha que sacrificar tudo por isso foi realmente foda.
    Xoxo

    ResponderExcluir

Newsletter

Inscreva-se na newsletter do bloguinho! ♥
* indicates required



Projetos do blog



I'll follow the Sun